Governador e primeira-dama do RJ são suspeitos de receber propina para favorecer contratos

O suposto esquema de corrupção envolvendo o governador Wilson Witzel e a mulher dele, Helena Witzel, teria começado em agosto do passado, quando o escritório de advocacia da primeira-dama e um grupo de empresas de saúde, fornecedoras do estado, firmaram um contrato de prestação de serviços e honorários. Um documento divulgado pela revista "Veja" mostra que o acordo previa um pagamento de R$ 15 mil mensais divididos em 36 parcelas, totalizando mais de R$ 500 mil.

Confira nas multiplataformas do Jornal da Record os quatro boletins diários que vão ao ar também na Record TV e ainda uma versão exclusiva para o digital.