Lava Jato investiga prédio, em Salvador, usado para esconder propina desviada da Petrobras

Segundo o empresário Alexandre Suarez, que fechou acordo de delação premiada, o prédio comercial no centro de Salvador escondia o bunker. No local, haveria um cofre, onde seriam guardados os valores para serem entregues, de acordo com a necessidade, para os dirigentes da Petros, o fundo de pensão dos funcionários da Petrobrás, servidores da própria estatal e integrantes do Partido dos Trabalhadores.

Confira nas multiplataformas do Jornal da Record os quatro boletins diários que vão ao ar também na Record TV e ainda uma versão exclusiva para o digital.