JR na TV Paciente com covid-19 morre à espera de leito de UTI na rede pública de Porto Alegre

Paciente com covid-19 morre à espera de leito de UTI na rede pública de Porto Alegre

No pior momento da pandemia no Rio Grande do Sul, Porto Alegre tem 11 dos 17 hospitais sem leitos de UTI disponíveis

O Rio Grande do Sul atingiu, nesta segunda-feira (1º), pelo quarto dia seguido, a maior média móvel de mortes por covid-19 já registrada desde o início da pandemia. O estado tem apenas 70 leitos disponíveis e na capital, a maioria dos hospitais está com lotação máxima. Na cidade de Novo Hamburgo, a cerca de 40km de Porto Alegre, filas se formaram nas unidades de saúde. Essa é considerada a fase mais crítica da pandemia no Rio Grande do Sul e os números continuam subindo. Segundo o governo estadual, o principal obstáculo para criar novas vagas nos hospitais não é a falta de equipamentos, mas sim de profissionais e de insumos. Como reflexo desse cenário, a justiça decidiu suspender a retomada das aulas presenciais, nas escolas públicas e particulares, que estava permitida pelo estado para o ensino infantil e os anos iniciais do ensino fundamental. A decisão vale enquanto durar a bandeira preta e o governo disse que irá recorrer.

Últimas