JR na TV Polícia faz a reconstituição da morte de Henry Borel; mãe e padrasto decidem não participar

Polícia faz a reconstituição da morte de Henry Borel; mãe e padrasto decidem não participar

Um boneco com as mesmas características do menino foi usado para simular o que teria acontecido 

A Polícia Civil do Rio de Janeiro realizou nesta quinta-feira (1º) a reconstituição da morte do menino Henry, de quatro anos. A mãe e o padrasto decidiram não participar. Os policiais chegaram em comboio ao condomínio onde a criança morreu. Dentro de um dos carros, um boneco com as mesmas características do menino. Ele foi usado para simular o que teria acontecido com Henry Borel, de quatro anos, morto depois de chegar à casa da mãe, Monique Medeiros, e do padrasto, o vereador Doutor Jairinho. O casal disse à polícia que eles estavam no quarto quando ouviram um barulho e encontraram a criança no chão. Já o laudo do IML aponta múltiplas lesões e hemorragia.

Últimas