Porteiro que citou Bolsonaro no caso Marielle recua e diz que se enganou

Um dos porteiros do condomínio no Rio de Janeiro onde o presidente Bolsonaro tem casa depôs à Polícia Federal e disse que se enganou. Foi ele quem deu a informação errada de que um dos acusados de assassinar a vereadora Marielle Franco e o motorista dela havia entrado no condomínio na noite do crime depois de ligar para a casa de Bolsonaro. O registro de áudio da portaria mostra que o suspeito na verdade interfonou para Ronnie Lessa, outro acusado pela morte da vereadora e que possui casa no mesmo lugar. Para assistir ao conteúdo na íntegra, acesse o PlayPlus.com