Primeira paciente curada com uso de plasma sanguíneo recebe alta em São Paulo

A técnica, desenvolvida pela USP de Ribeirão Preto, utiliza anticorpos presentes no sangue de pessoas já curadas com a doença. A paciente realizou três aplicações de plasma durante o tratamento.

Confira nas multiplataformas do Jornal da Record os quatro boletins diários que vão ao ar também na Record TV e ainda uma versão exclusiva para o digital.