Toffoli volta atrás e anula decisão sobre acesso a dados sigilosos

O ministro Dias Toffoli esclareceu que mudou de ideia após a Unidade de Inteligência Financeira, o antigo Coaf, prestar as informações solicitadas em relação à produção de relatórios. O presidente do STF pediu em 25 de outubro cópias de relatórios da unidade produzidos nos últimos 3 anos, o que daria acesso a dados sigilosos de 600 mil pessoas.

Confira nas multiplataformas do Jornal da Record os quatro boletins diários que vão ao ar também na Record TV e ainda uma versão exclusiva para o digital.