Trump vai a Kenosha e chama protestos de 'terrorismo doméstico'

Candidato à reeleição, o presidente americano Donald Trump visitou, nesta terça-feira (1), a cidade de Kenosha, palco de manifestações violentas há mais de uma semana, quando Jacob Blake, um homem negro, foi baleado pelas costas numa ação policial. Trump anunciou ajuda financeira de mais de R$ 250 milhões destinados à segurança pública, à polícia e a empresários da cidade. Trump ainda sugeriu uma reforma legislativa para proteger a vida dos afro-americanos.