Lorena Após condenação em caso de racismo e homofobia, Nelson Piquet tem recurso negado pela justiça

Após condenação em caso de racismo e homofobia, Nelson Piquet tem recurso negado pela justiça

Ex-piloto acredita “haver omissão no ato judicial” que o sentenciou a pagar 5 milhões por falas racistas e homofóbicas contra Lewis...

Lorena - Notícias
Após condenação em caso de racismo e homofobia, Nelson Piquet tem recurso neg

Após condenação em caso de racismo e homofobia, Nelson Piquet tem recurso neg

Lorena - Notícias

Condenado a pagar 5 milhões por declarações racistas e homofóbicas destinadas a Lewis Hamilton e aos pilotos Keke e Nico Rosberg, Nelson Piquet, empresário e tricampeão mundial de Fórmula 1, teve recurso feito ao Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJ-DF) negado.

Após a resolução dos desembargadores da 20ª Vara Cível de Brasília contra o embargo, a defesa do ex-piloto afirmou que a decisão inicial não abordou todos os aspectos do caso. Tal afirmação gerou resposta da juíza Thaissa de Moura Guimarães, responsável por assinar a sentença. Segundo ela, não houve omissão, obscuridade ou contradição na primeira decisão.

Panorama do caso

Em 2021, Nelson Piquet utilizou de termos racistas para se referir ao piloto de Fórmula 1, Lewis Hamilton. A ocasião gravada, que gerou repercussão na internet somente em 2022, ocorreu em uma entrevista ao canal “Motorsports Talks”, na qual Piquet comentava um acidente envolvendo o namorado de sua filha, Max Verstappen e o inglês. Nesta, o empresário faz uso da palavra “neguinho” para se referir à Hamilton.

Em entrevista ao jornalista Ricardo Oliveira na época, Piquet criticou: “O neguinho meteu o carro e não deixou. O neguinho deixou o carro porque não tinha como passar dois carros naquela curva. Ele fez de sacanagem. A sorte dele foi que só o outro se f*deu. Fez uma p*ta sacanagem”.

Além deste, outro comentário de Nelson Piquet veio à tona após a popularização do caso. Em 2016, o ex-piloto já havia proferido termos de cunho racista e homofóbico contra Lewis Hamilton e os pilotos Keke e Nico Rosberg. Ao comentar a vitória de Nico Rosberg sobre Lewis, Piquet afirmou: “O Keke? Era uma b****. Não tinha valor nenhum. É que nem o filho dele (Nico Rosberg). Ganhou um campeonato. O neguinho ( Lewis Hamilton) devia estar dando mais o c* naquela época e estava meio ruim”.

Entrevista que Piquet usa de termos racistas e homofóbicos ao se referir a Hamilton, Keke e Nico Rosberg. (Reprodução/Twitter)

O processo contra as falas do empresário foi movido pela Educafro, o Centro Santo Dias, a Aliança Nacional LGBTI+ e a Associação Brasileira de Famílias Homotransafetivas. As entidades antirracistas e de defesa à causa LGBTQIA+, inicialmente, pediram R$ 10 milhões na ação, com a justificativa de: “reparação de dano moral coletivo e dano social infligidos à população negra, à comunidade LGBTQIA+ e ao povo brasileiro de modo geral”.

Lewis pede mudança de “mentalidades arcaicas”

Sobre o racismo sofrido, na época Hamilton usou suas redes sociais para pedir mudança de “mentalidades arcaicas”. Enquanto Nelson Piquet, afirmou que havia ocorrido má tradução e sua real intenção seria utilizar "um daqueles termos usados de forma coloquial no português brasileiro". 

Após o sentenciamento de Piquet no valor de 5 milhões, Lewis Hamilton comemorou e explicitou sua gratidão ao Estado brasileiro: “Eu gostaria de agradecer ao governo brasileiro. Acho que é incrível o que fizeram ao responsabilizar alguém, mostrando às pessoas que isso (falas racistas) não é tolerável”, afirmou.

Foto destaque: Nelson Piquet. Reprodução/Getty Images

Últimas