Lorena Estudante saudita é condenada à prisão por suas publicações no Twitter

Estudante saudita é condenada à prisão por suas publicações no Twitter

Estudante saudita de 34 anos é condenada à prisão por suas contas e publicações no Twitter, de acordo com autoridades ela estaria propagando ideias ativistas que ameaçam a segurança do país.

Lorena - Notícias
Estudante saudita é condenada à prisão por suas publicações no Twitter

Estudante saudita é condenada à prisão por suas publicações no Twitter

Lorena - Notícias

A saudita Salma al-Shehab (34) foi condenada a 34 anos de prisão no Reino Unido por seguir e retuitar publicações de ativistas. A estudante da Universidade de Leeds foi detida enquanto estava de férias em seu país natal. Inicialmente, a mãe de dois filhos pequenos foi acusada a 3 anos de prisão por estar usando um site da internet para “causar agitação pública, desestabilizando a segurança civil e nacional”. Em seguida, nesta segunda-feira (15), um promotor aplicou um recurso que mudou sua sentença para 34 anos de cadeia, seguidos de uma suspensão de viagem que dura 34 anos por outros supostos crimes.

Salma al-Shehab não era reconhecida como ativista, no Twitter ela tinha pouco mais de 2 mil seguidores e no Instagram pouco mais de 150 seguidores. Em tais redes sociais, ela se descreve como estudante da Universidade de Leeds, mãe de Adam e Noah, educadora médica, higienista dental e professora na Universidade Princess Nourah bint Abdulrahman. A estudante, entre seus tweets, republicava posts relacionados aos dissidentes sauditas que estão em exílio e pedem pela libertação de prisioneiros políticos. Ela também parecia apoiar uma ativista feminista da Arábia Saudita, Loujain al-Hathloul, que já foi presa e está proibida de viajar por lutar pelos direitos de direção das mulheres.

Lorena - Notícias

Lorena - Notícias

Lorena - Notícias
Salma al Shehab, seu marido e seus filhos Adam e Noah (Foto: Reprodução/Twitter)

De acordo com a Freedom Initiative, a sentença de Salma al-Shehab é a mais longa já dada a uma ativista dos direitos das mulheres em Riad, capital da Arábia Saudita. Segundo os autos do tribunal, acessados pelo jornal The Guardian, as contas no Twitter da estudante e suas publicações estavam colaborando com outras pessoas que queriam ameaçar a segurança do país.

Salma al-Shehab havia chegado no Reino Unido entre 2018 e 2019 para fazer doutorado na Universidade de Leeds. Em 2020, ela foi passar as férias na Arábia Saudita, seu país natal, e em seguida, iria voltar para o Reino Unido com seu marido e seus dois filhos. Porém as autoridades sauditas a chamaram para um interrogatório, onde ela acabou sendo condenada por suas publicações no Twitter.

Foto destaque: Reprodução/Twitter

Últimas