Lorena Modelo brasileira que relatou gordofobia em voo é realocada e retorna ao Brasil

Modelo brasileira que relatou gordofobia em voo é realocada e retorna ao Brasil

Nas redes sociais, modelo disse que companhia aérea negou que ela embarcasse e exigiu que fosse comprada passagem na classe executiva. Qatar Airways alegou que 'trata todos os passageiros com respeito e dignidade'.

Lorena - Notícias
Modelo brasileira que relatou gordofobia em voo é realocada e retorna ao Brasil

Modelo brasileira que relatou gordofobia em voo é realocada e retorna ao Brasil

Lorena - Notícias

A modelo plus size e influenciadora Juliana Nehme, denunciou em suas redes sociais que foi vítima de gordofobia pela companhia aérea Qatar Airways no Líbano. Ela relatou que a empresa impediu de pegar o voo com destino a São Paulo por ser 'gorda demais'.

Em uma sequência de stories em vídeos postados no instagram a modelo aparece bem abalada dentro da companhia aérea contando que foi barrada de embarcar na conexão do Líbano para Doha, no Qatar.

"A aeromoça da Qatar disse que eu não posso embarcar porque eu sou muito gorda e não tenho direito a essa passagem. Estou eu, a minha mãe, a minha irmã e meu sobrinho, nós pagamos 4 mil dólares (cerca de R$ 21 mil) por essas passagens. Agora, ela simplesmente se nega a dar as passagens e a me deixar embarcar no voo para Doha e de lá para São Paulo porque sou gorda. Agora, o que eu vou fazer?" contou.

Lorena - Notícias

Lorena - Notícias

Lorena - Notícias

                                                   Juliana Nehme em vídeo do seu instagram. (Foto/Reprodução: Instagram)

Juliana diz que a empresa afirmou que ela não tinha direito à passagem econômica, que foi comprada por 1 mil de dólares (aproximadamente R$6 mil), e que ela teria que comprar a passagem executiva de 3 mil dólares (cerca de 16 mil dólares) ou dois bancos comuns para 'caber' no assento e poder viajar.

"Eles estão negando o direito de eu viajar. Eu vim de Air France normal, não tive problema, e agora eles estão me negando a minha passagem... Gente, eu Tô desesperada, me ajudem. Eles não querem que eu embarque porque eu sou gorda. A passagem business custa 3 mil dólares e não tenho. Não sei o que fazer." relatou.

A companhia aérea Qatar Always, se justificou dizendo que a exigência da compra de uma passagem adicional está de acordo com as práticas de indústria e de forma semelhante à maioria das companhias aéreas mas que trata todos os passageiros com respeito e dignidade.

Foto Destaque: Juliana Nehme. (Foto/Reprodução: Estadão)

Últimas