Lorena Policiais rodoviários podem começar a usar câmeras nos uniformes até o final do ano

Policiais rodoviários podem começar a usar câmeras nos uniformes até o final do ano

A Polícia Rodoviária Federal e o Ministério Público estudam a implantação de câmeras nos uniformes de polícias rodoviários. Decisão...

Lorena - Notícias
Policiais rodoviários podem começar a usar câmeras nos uniformes até o final

Policiais rodoviários podem começar a usar câmeras nos uniformes até o final

Lorena - Notícias

Mais de 10 mil policiais federais podem começar a usar câmeras em seus uniformes. Ação poderá servir como incentivo para a adoção de câmeras por policiais militares.

A Polícia Rodoviária Federal e o Ministério da Justiça começaram os primeiros estudos para a implantação de câmeras. Em fevereiro, foi montado um grupo com as equipes de inteligência, direitos humanos e ouvidoria.

É espero que a implantação ocorra até o final do ano. Porém, o valor estimado para tal operação ainda não foi calculado.

Um dos maiores empecilhos para a implantação vem da rejeição interna, para isso é previsto que a instituição faça uma campanha para reverter as opiniões negativas.

Antônio Fernando Oliveira, diretor-geral da corporação, disse o seguinte sobre a rejeição:

“Não vejo nenhum ponto negativo para os agentes em ter a atividade gravada. Botava aquilo no bolso [Oliveira conta sobre os anos em que atuava na estrada e levava uma caneta com câmera] e quando a pessoa que estava sendo abordada começava a subir o tom, eu falava: “a partir desse momento a conversa está sendo gravada”. Aí normalizava a situação” [...] É muito difícil uma unanimidade, mas nada muito substancial, que possa criar uma dificuldade operacional para abraçar esse projeto”.

Além da proteção aos policiais, as câmeras podem ajudar a reconstruir a confiança da população com a polícia ao prevenir cenas de abusos.

Lorena - Notícias

Lorena - Notícias

Lorena - Notícias

Caso Genivaldo pode ter influenciado a discussão das câmeras no uniforme. Reprodução/twitter

Um dos momentos que influenciou a discussão da adoção das câmeras foi o Caso Genivaldo em maio de 2022, quando um homem com esquizofrenia foi colocado no porta-malas de um carro e forçado a inalar gás lacrimogêneo por três policias rodoviários em Umbaúba, Sergipe. Uma das defesas dos policiais foi que o homem resistiu de forma agressiva a abordagem, mas os vídeos que rivalizaram da abordagem desmentiram o que eles falaram.

Os três foram denunciados pelo Ministério Público Federal de Sergipe por tortura, abuso de autoridade e homicídio qualificado, e esperam julgamento no Tribunal do Júri.

Foto destaque: Câmeras em policiais rodoviários podem ser aderidas até o final do ano. Governo de São Paulo/Divulgação. 

Últimas