Lorena Por conta do clima estável as lavouras brasileiras sofrem com pragas

Por conta do clima estável as lavouras brasileiras sofrem com pragas

As pragas na lavoura podem causar danos irreversíveis à produção e os percevejos acabaram aumentando nas lavouras de soja e milho,...

Lorena - Notícias
Por conta do clima estável as lavouras brasileiras sofrem com pragas

Por conta do clima estável as lavouras brasileiras sofrem com pragas

Lorena - Notícias

Nesta terça-feira (16) foi divulgado pelo Sindiveg (Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Defesa) que os percevejos acabaram aumentando nas lavouras de milho e soja. A incidência de percevejos cresceu 6.3% nas lavouras de soja, já na lavoura de milho chegou a 10.8%. Os produtores de algodão também enfrentam enormes desafios no manejo de insetos na safra 22/23, por mais que a área cultivada tenha expandido apenas 3.8% referente 21/22.

O relatório da Sindiveg informou que o crescimento foi impulsionado pela normalização do clima e também pelo aumento de produção de grãos, até mesmo com a expansão de área, que acaba favorecendo o surgimento e o desenvolvimento de pragas.

A expansão da área cultivada do milho e da soja explica a recorrência da praga, na soja a expansão chegou a ser de 6.2% de área cultivada, já no milho foi 3.5%.

Júlio Borges Garcia, o presidente do Sindiveg informou que “Estes cenários demonstram a importância das tecnologias de proteção de cultivos para que os agricultores brasileiros sigam aumentando a produtividade, ano após ano, garantindo assim à sociedade, uma oferta crescente de alimentos e fibras”.

Lorena - Notícias

Lorena - Notícias

Lorena - Notícias

Por conta do clima estável as lavouras brasileiras sofrem com pragas (Foto:Reprodução/Internet)

No relatório da Sindiveg também mostra que a incidência da mosca branca acabou aumentando 3.7% neste período, porém a incidência do bicudo-do-algodoeiro cresceu de 17.3%, que acabou superando o pico de infestação que foi registrado na safra 19/20.

As pragas agrícolas no Brasil têm aumentado nas últimas décadas, até o ano de 1960, o número de pragas detectadas por ano era inferior a um, onde passou a ser superior a dois nos anos 90 e, na última década, este número está próximo a quatro.

As principais pragas que os agricultores brasileiros enfrentam são: Helicoverpa armigera, broca-do-café (Hypothenemus hampei), mofo Branco (Sclerotinia sclerotiorum), cochonilhas (Dactylopius coccus), mosca-das-frutas (e do caribe), ácaros, ferrugem da soja (Phakopsora pachyrhizie), bicudo do algodoeiro (Antonomus grandis) e mosca branca (Bemisia tabaci).

Para reduzir o efeito das pragas na lavoura é importante que possa buscar orientações sobre métodos e produtos que seja usado para cada tipo de agente causador.

Foto Destaque: Lavoura de soja em Roraima (Foto:Reprodução/Geison Nicaretta)  

Últimas