Lorena Possibilidade de ciclone se tornar furacão ameaça Colômbia e Venezuela

Possibilidade de ciclone se tornar furacão ameaça Colômbia e Venezuela

Com formação sobre o Mar do Caribe, há possibilidade de que o ciclone tropical se transforme em tempestade tropical, também conhecida como furacão, podendo trazer grande devastação para as áreas atingidas.

Lorena - Notícias
Possibilidade de ciclone se tornar furacão ameaça Colômbia e Venezuela

Possibilidade de ciclone se tornar furacão ameaça Colômbia e Venezuela

Lorena - Notícias

De acordo com um novo comunicado do Centro Nacional de Furacões, um possível ciclone tropical se formou no Caribe e foi emitido um alerta de tempestade tropical para a costa da Colômbia. Há expectativa de que o sistema, que ainda não tem um centro bem definido no momento, torne-se mais organizado ao passo em que se move para o oeste, nas regiões da costa da Venezuela e da Colômbia.

De acordo com o alerta, o ciclone Denominado de “TREZE”, ele está localizado sobre o centro-sul do Mar do Caribe, e a possibilidade de formação em furacão é de que ocorra nas próximas 48 horas. A previsão é de que o PTC Treze se fortaleça na manhã de sexta-feira (07/10) em uma tempestade tropical.

Os furacões são formados sempre nas águas dos oceanos, são ciclones tropicais, assim como os tufões, e tem sua origem da mesma forma que a chuvas. Os furacões podem durar até uma semana e, quando alcançam o litoral, causam grande destruição, com ventos que chegam a ultrapassar os 200 km/h.

Lorena - Notícias

Lorena - Notícias

Lorena - Notícias
O furacão Catarina em março de 2004. Foto Reprodução/Estação Espacial Internacional (EEI) 

O ciclone tropical ocorre quando os ventos ultrapassam os 119 km/h entre os Trópicos de Câncer e Capricórnio. Se ele se formar próximo às Américas Central e do Norte, chama-se furacão, mas se a formação ocorrer no Oceano Pacífico, próximo da Ásia, Havaí e Oceania, ele se chama tufão.

Independentemente de onde se formam, há uma lista que rege a nomeação do fenômeno, e que conta atualmente com 126 nomes, atualmente. Os nomes são escolhidos pela Organização Meteorológica Mundial (OMM), que tem sua sede em Genebra, na Suíça. A OMM escolhe nomes comuns de pessoas em inglês, espanhol e francês, uma vez que essas são as línguas faladas nos países que mais são atingidos por furacões.

O próximo nome para tempestades é Julia, listada para tempestades no Atlântico.

Foto Destaque: Reprodução/Zoom Earth

Últimas