Ajuda de R$ 3 bilhões do Governo Federal é insuficiente, avalia Zema

Governador de Minas Gerais afirma que valor não vai cobrir toda a dívida que o Estado deve ter durante a pandemia do novo coronavírus

Romeu Zema prevê déficit bilionário para Minas

Romeu Zema prevê déficit bilionário para Minas

Divulgação / Imprensa MG / Pedro Gontijo

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), avaliou, na manhã desta quinta-feira (28), ser “insuficiente” a ajuda de quase R$ 3 bilhões que o Governo Federal deve enviar ao Estado para amenizar o impacto financeiro da pandemia de covid-19.

O dinheiro está previsto no Programa Federativo de Enfrentamento à Pandemia, sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), nesta quarta-feira (27). Agora, o projeto segue para nova análise do Congresso, antes de entrar em vigor.

“A ajuda é muito bem-vinda, apesar de insuficiente frente à grande queda de arrecadação em Minas Gerais. Seguimos na luta!”, publicou Zema em uma rede social após a decisão de Bolsonaro.

O programa prevê o repasse de até R$ 120 bilhões aos 27 Estados e ao Distrito Federal. A parte de Minas Gerais deve ser paga em quatro parcelas de R$ 750 milhões. Outros R$ 446 milhões serão enviados para serem aplicados exclusivamente em ações de saúde em Minas.

Conforme já havia mostrado o R7, o valor não cobre as dívidas previstas pela equipe de Zema durante a pandemia. Apenas para os meses de abril e maio, a queda na arrecadação dos cofres públicos estaduais deve ser de mais de R$ 3,2 bilhões.