tragédia brumadinho
Minas Gerais Alerta de surtos gera corrida por vacinas em Brumadinho

Alerta de surtos gera corrida por vacinas em Brumadinho

Fiocruz alertou sobre risco de aumento de dengue, febre amarela e outras doenças infecciosas; Veículo fumacê continua percorrendo a cidade

Joana Dark tomou a vacina para Hepatite A

Joana Dark tomou a vacina para Hepatite A

Paulo Henrique Lobato/ R7 Minas

Moradora de Córrego do Feijão, lugarejo de Brumadinho parcialmente soterrado pelo rompimento da barragem da Vale, dona Joana Dark Pinto, de 58 anos, acordou cedo nesta quarta-feira (6) para ir se vacinar contra doenças que podem ser causadas pela lama com rejeitos de minério.

— Entrei no barro para salvar minha filha e meu netinho, de 6 meses. Consegui retirá-los do sítio em que ela trabalhava. Tomei uma vacina para Hepatite A.

Leia também: Morte de advogada pode acabar com time xodó de Córrego do Feijão

Mais de 180 moradores do lugarejo já foram ao posto de saúde, atendendo recomendação da Fiocruz. Na terça-feira (5), a Fundação alertou para o risco de surtos de dengue, febre amarela e outras doenças no caminho da lama.

Ana Maria também foi se vacinar pela manhã

Ana Maria também foi se vacinar pela manhã

Paulo Henrique Lobato/ R7 Minas

Dona Ana Maria dos Santos, de 64, também se preveniu contra as doenças.

— Não quero passar mal. Essa lama fez muitos estragos. Perdi um sobrinho, que trabalhava na Vale.

A médica Janaína Santos, que faz atendimento voluntário no povoado, conta que equipes de saúde também estão visitando famílias em casa.

— Muitas pessoas, deprimidas, não estão saindo do lar. 

O veículo fumacê continua percorrendo diariamente o lugarejo. O serviço foi contratado pela Vale a pedido da prefeitura.

R7