Minas Gerais ANM mantém alerta de emergência da barragem Xingu, da Vale, em MG

ANM mantém alerta de emergência da barragem Xingu, da Vale, em MG

No início do mês, o Ministério do Trabalho suspendeu a realização de atividades na região da estrutura que fica na cidade de Mariana

  • Minas Gerais | Pablo Nascimento, do R7

Divulgação / ANM

A ANM (Agência Nacional de Mineração) mateve, nesta terça-feira (15), o nível 2 de emergência da barragem Xingu, da Vale, na mina Alegria, em Mariana, a 110 km de Belo Horizonte.

Fiscais do órgão passaram parte da tarde no local para vistoriar a estrutura, que não recebe rejeitos há quase 20 anos.

No início do mês, o Ministério do Trabalho impediu a realização de atividades no entorno do reservatório devido a riscos de morte às pessoas que trabalhavam no local. Com isto, a Vale teve que suspender a circulação do trem de carga que passava por lá, o que pode afetar o escoamento da produção da empresa. A companhia nega risco à vida dos trabalhadores.

Claudinei Cruz, chefe da divisão de segurança de barragens da ANM em Minas Gerais, explica que além da vistoria em campo, os fiscais tiveram uma reunião com representantes da Vale, que apresentaram a documentação da estrutura.

— Foi verificado que o status da barragem hoje não teve modificação em relação ao ano passado. Não houve mudança nos parâmentros e ela continua no nivel 2. A gente vai gerar um relatório dessa vistoria para passar para a chefia imediata e continuar o acompanhamento que sempre fazemos nas barragens em nivel de emergencial.

O alerta 2 de emergência, na escala que vai até 3, exige que as empresas retirem das regiões vizinhas os moradores que não teriam tempo suficiente para se salvar em caso de rompimento. Segundo a Vale, as famílias que vivam nestas áreas do entorno da Xingu foram removidos em setembro de 2020.

Veja o significado de cada grau de risco:

    • Nível 1: Quando detectada anomalia que resulte no início de uma ISE (Inspeção de Segurança Especial) e para qualquer outra situação com potencial comprometimento de segurança da estrutura;

    • Nível 2: Quando o resultado das ações adotadas na anomalia do nível anterior for classificada como “não controlada”;

    • Nível 3: Quando a ruptura da barragem é iminente ou está ocorrendo.

Últimas