Coronavírus

Minas Gerais Após bate boca, Zema leva medidas adotadas em BH para todo o Estado

Após bate boca, Zema leva medidas adotadas em BH para todo o Estado

Dois dias depois de ser criticado pelo prefeito Alexandre Kalil, governador de Minas Gerais determina que prefeituras fechem estabelecimentos 

Mais uma vez, Zema deu entrevista online

Mais uma vez, Zema deu entrevista online

Reprodução/Redes sociais

Depois de trocar farpas pelas redes sociais com o prefeito de Belo Horizonte, o governador Romeu Zema (Novo) decidiu estender as medidas de prevenção ao coronavírus para todo o Estado. Em ação divulgada nesta sexta-feira (20), Zema determinou o fechamento de estabelecimentos e restrição na circulação de pessoas. 

O Governo de Minas determinou que as prefeituras fechem os estabelecimentos não essenciais para diminuir a possibilidade de contágio. Dentre os locais que devem suspender as atividades estão academias, shoppings, bares, restaurantes, dentre outros.

Veja mais: Kalil fecha bares, restaurantes e locais de aglomeração em BH

O anúncio do fechamento do comércio foi a principal rusga entre Zema e o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), nos últimos dias. O prefeito chegou a dizer na última quarta-feira (20) que o governador estaria mais preocupado "com votos que com vidas" ao decidir não intensificar as medidas de combate ao Covid-19. 

A declaração foi dada após uma coletiva de Zema em que ele pediu aos mineiros que fiquem em casa e que não comparecem a lugares com mais de 10 pessoas. No mesmo dia, Kalil disse que tomaria medidas "solitárias" e assinou decreto determinando o fechamento de estabelecimentos como salões de beleza, academias, bares e restaurantes. A medida começou a valer nesta sexta-feira. 

Medidas

Além do fechamento de lojas no comércio, exceto farmácias, postos de gasolina e supermercados, Zema também determinou o fechamento das divisas do Estado. Ônibus de passageiros ou trens não podem entrar no território mineiro. 

No transporte coletivo, os municípios deve ser feito sem ultrapassar a metade da capacidade de passageiros sentados. Para o transporte coletivo urbano e rural, não poderá ser excedida a capacidade de passageiros sentados.

Para evitar risco de desabastecimento em farmácias e supermercados, o governador determinou que os estabelecimentos limitem a quantidade disponível para compra para cada cliente e proibiu a prática de preços abusivos.

O governador decidiu ainda proibir a realização de eventos e de reuniões de qualquer natureza, de caráter público ou privado, incluindo excursões, cursos presenciais e outros com mais de 30 pessoas.

Últimas