Associação vai entrar na Justiça de novo para reabrir bares em BH

Presidente da Abrasel, Paulo Solmucci, se disse "indignado" com critério da prefeitura para não abrir novos leitos de UTI e garante que vai à Justiça

Bares só podem funcionar por meio de entrega

Bares só podem funcionar por meio de entrega

Reprodução/RecordTV Minas

A Abrasel (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes) vai voltar a acionar a Justiça para que os bares e restaurantes filiados à entidade possa reabrir em Belo Horizonte. A informação foi confirmada nesta sexta-feira (31) pelo presidente da entidade, Paulo Solmucci. 

— Vamos, com certeza, recorrer à Justiça. Se, eventualmente, os juizes têm medo de tomar decisões e eu até as compreendo, porque a clareza dos indicadores não é suficiente e a incerteza da curva é grande, tudo bem. Mas dizer que o bar e o restaurante são mais perigosos que o comércio que está todo aberto na periferia, isso não pode passar sem um grande debate público.

"Cruel e desumano": entidade de lojistas critica prefeito de BH

A ação da Abrasel ocorre horas depois de o Executivo municipal confirmar que irá permanecer na fase de controle pela próxima semana. Com isso, os comércios não essenciais não poderão abrir suas portas pela sexta semana seguida.

Solmucci, se disse "indignado", principalmente com a declaração do secretário municipal de saúde, Jackson Machado, que disse nesta sexta-feira (31) que a prefeitura não abriria leitos "sem necessidade". 

— Não é razoável que a prefeitura alegue economizar dinheiro para manter leitos fechado quando poderiam estar aberto, nao é raxoavel nao abrir para bares e restaurantes, que são um setor que está pagando a conta. 

Novo protocolo prevê shoppings na fase 1 e bares na fase 2, em BH

Durante entrevista coletiva na sede da Prefeitura de Belo Horizonte, Machado afirmou que o Executivo municipal não abriria mais leitos para ficarem "ociosos", assim como não iria comprar leitos de hospitais privados sem que houvesse necessidade.

— A cada 10 leitos abertos, precisamos de 70 pessoas. Não vamos abrir 30 leitos, contratar 210 pessoas, para não serem usados. Temos respeito pelo dinheiro público. Quando forem necessários mais, vamos abrir

Decisão

A Abrasel chegou a conseguir, na Justiça, uma liminar para que os bares e restaurantes pudesse reabrir, desde que adotando normas de segurança conforme decisão do juiz de primeira instância Wauner Machado. No entanto, 48 horas depois o presidente do TJMG (Tribunal de Justiça de Minas Gerais) cassou a decisão

*estagiário do R7, sob supervisão de Lucas Pavanelli