tragédia brumadinho
Minas Gerais Atingidos pela Vale querem demissão de diretoria 

Atingidos pela Vale querem demissão de diretoria 

Dez acionistas críticos da mineradora protocolaram pedido ao Conselho de Administração da mineradora e solicitam também uma reunião com a cúpula

Paulo Henrique Lobato/ R7 Minas

Dez acionistas da Vale que participam da Articulação Internacional dos Atingidos e Atingidas pela Vale protocolaram pedido ao Conselho de Administração e ao Conselho Fiscal da mineradora defendendo a destituição da diretoria-executiva e a convocação imediata de assembleia geral extraordinária para tratar exclusivamente da responsabilidade  da empresa no rompimento da mina de Feijão, em Brumadinho, em 25 de janeiro passado.

A Articulação é formada por várias entidades, como sindicatos, grupos ambientais. Como estratégia, representantes destes grupos adquirem ações da Vale para terem direito a voz junto à mineradora. São chamados de acionistas críticos.

Leia também: Covas são abertas fora de cemitério sem espaço

O advogado Danilo Chammas, que mora no Maranhão e é ativista contra a mineradora, quer a destituição da atual diretoria.

—Todos os acionistas têm de ser chamados à responsabilidade. Para garantir transparência às investigações, defendemos a destituição da diretoria.

Ele e outros integrantes da Articulação visitaram, nos últimos sete dias, a área afetada pelo rompimento da mina de Feijão. Nesta terça-feira (5), o grupo divulgou um relatório parcial.

As conclusões, na verdade, são um conjunto de críticas à mineradora.

— Causa estranheza que a Vale tenha se negado a fornecer uma cópia da minuta do termo pelo qual firma com as famílias afetadas este contrato de doação (dos R$ 100 mil reais às famílias das vítimas).

O R7 solicitou um posicionamento da Vale sobre as demandas, mas a mineradora ainda não respondeu. 

R7