tragédia brumadinho

Minas Gerais Atingidos por barragem protestam durante reunião entre Vale e MG

Atingidos por barragem protestam durante reunião entre Vale e MG

Moradores da bacia do Paraopeba apresentaram um manifesto pedindo uma reparação justa e a participação dos atingidos na negociação do acordo

Atingidos fazem protesto em frente ao Tribunal de Justiça

Atingidos fazem protesto em frente ao Tribunal de Justiça

Camila Cambraia/RecordTV Minas

Atingidos pelo rompimento da barragem da Vale em Brumadinho fazem um protesto na tarde desta quarta-feira (9), na porta do Tribuna de Justiça de Minas Gerais, onde representantes do Governo de Minas e da Vale se reúnem, pela terceira vez, para tentarem chegar a um acordo sobre a reparação pelos danos causados pela tragédia.

Moradores da bacia do Rio Paraopeba, que foram impactadas pelo rompimento da barragem, apresentaram um manifesto pedindo mairo participação na discussão do assunto. Em documento, os atingidos afirmaram estar em "discordância da aprovação de um acordo discutido e elaborado sem a devida participação informada-  conforme conceituado no processo judicial - das pessoas e comunidades atingidas".

O manifesto destaca nove reivindicações, dentre elas, a negociação de um valor justo, o direito a uma participação informada e que a Vale só faça parte do acordo como pagadora pelos danos causados com a tragédia.

Reunião

O Governo de Minas e a Vale se reúnem nesta quarta-feira, pela terceira vez em um intervalo de três meses, para negociar uma indenização que a mineradora deverá pagar ao Estado devido ao rompimento da barragem de Brumadinho, na região metropolitana de Belo Horizonte.

Os valores não têm relação com pagamentos que a empresa deverá fazer à população atingida. Eles são referentes apenas aos danos morais e econômicos cobrados pelo Governo de Minas.

O Estado pediu R$ 54 bilhões à Vale, entre danos econômicos e sociais, e a mineradora apresentou, como contraproposta, a intenção de pagar R$ 16,5 bilhões. O Governo de Minas diz ter rejeitado esse valor.

As duas primeiras reuniões terminaram sem acordo e ambas as partes negociam os termos do contrato. Apenas o Ministério Público, a Advocacia-Geral do Estado, a Defensoria Pública e a Vale participam do processo.

O rompimento da barragem em Brumadinho completa dois aos no próximo dia 25 de janeiro. Até hoje, os corpos de 11 vítimas seguem desaparecidos. Os das demais 259 foram encontrados e identificados.

Últimas