Minas Gerais Banco autoriza financiamento e dono de revendedora leva golpe

Banco autoriza financiamento e dono de revendedora leva golpe

Suspeito teria apresentado documentos falsos no banco para conseguir regularizar a compra e causou prejuízo de R$ 26 mil

  • Minas Gerais | Mayara Folco, da Record TV Minas

O dono de uma revendedora de carros de Belo Horizonte foi vítima de um golpe na própria agência e teve prejuízo de R$ 26 mil na venda de um veículo para um homem que apresentou documentos falsos na hora da compra.

Câmeras registraram o suspeito na agência

Câmeras registraram o suspeito na agência

Reprodução

O suposto comprador teria feito o primeiro contato por meio de um aplicativo de mensagens, mostrando interesse em adquirir um carro financiado. Em seguida, o suspeito teria ido pessoalmente na agência para apresentar os documentos e realizar a compra. Alguns dias depois, o homem teria voltado à revendedora acompanhado de dois supostos parentes, que também estariam interessados em comprar mais veículos.

Veja: Polícia procura suspeito de aplicar "golpe do investimento" em MG

Banco é vítima

O banco que financiou o veículo também se diz vítima de golpe. Os funcionários da loja só perceberam que estavam sendo vítimas do crime quando a financeira acusou uma fraude na segunda tentativa de compra, mas o carro já havia sido levado pelo homem. O dono da agência, Ramon Ribeiro, tentou pedir para o suspeito retornar ao local, mas ele não apareceu.

O homem confessou o crime e o dono fez um boletim de ocorrência. Ramon alerta para os principais sinais de falsificação dos documentos para que outros se atentem e não caiam em golpes.

— Todos documentos eram terceira via e com aparência de que nunca teriam sido usados. A numeração de registro da Polícia Civil era igual e a assinatura era simples, de caixa alta.

Em nota, o banco que financiou o veículo informou que abriu uma investigação para apurar os fatos e as responsabilidades. A empresa afirmou que presta todo o apoio para a solução do caso. Ainda segundo o banco, a vítima não terá prejuízo.

Últimas