Barragens da Vale em Ouro Preto não passam em teste de segurança

Companhia anunciou que vai acionar sirenes de evacuação da área a partir das 17h desta quarta-feira; ao menos cinco famílias serão removidas

Barragens de Ouro Preto são como a de Brumadinho

Barragens de Ouro Preto são como a de Brumadinho

Lucas Lacaz Ruiz/Folhapress - 11.2.2019

A ANM (Agência Nacional de Mineração) afirmou na tarde desta quarta-feira (20) que quatro barragens da mineradora Vale na cidade histórica de Ouro Preto (MG) não tiveram a estabilidade atestada por técnicos de empresas contratadas para realizar uma vistoria.

Nesta tarde, a Vale acionou o nível 2 de emergência dessas quatro barragens — Forquilha I, II, II e da barragem do Grupo —, o que deu início à evacuação de famílias que seriam potencialmente atingidas, tanto em Ouro Preto quanto em Itabirito.

No primeiro município, foram contabilizadas cinco famílias e no segundo ainda não havia um número.

A mineradora informou em nota que as sirenes seriam acionadas às 17h e que "a ação faz parte do protocolo de remoção preventiva da população residente da Zona de Autossalvamento" e que o procedimento ocorre devido à desativação de barragens a montante, como as que se romperam em Mariana e Brumadinho, também em Minas Gerais.

A própria ANM determinou na segunda-feira (18) que todas as barragens a montante sejam desativadas até agosto de 2021. Além disso, a agência e órgãos fiscalizadores estaduais fazem uma força-tarefa para verificar as reais condições desses reservatórios por todo o país e os possíveis riscos à população e ao meio ambiente.