Minas Gerais BH estuda comprar doses da CoronaVac e vacina de Oxford

BH estuda comprar doses da CoronaVac e vacina de Oxford

Prefeitura de BH disse também já ter adquirido seringas para a vacinação contra a covid-19; SP anunciou vacinação a partir de 25 de janeiro

Prefeitura de BH entrou em contato com fabricantes

Prefeitura de BH entrou em contato com fabricantes

Fiocruz / Divulgação

A Prefeitura de Belo Horizonte afirmou nesta segunda-feira (7) que já entrou em contato com o Instituto Butantan e o laboratório de Bio-Manguinhos para a compra de doses de vacina contra a covid-19.

O Instituto Butantan tem um acordo com a farmacêutica chinesa Sinovac, para produção da vacina CoronaVac. Já Bio-Manguinhos desenvolve estudo sobre a vacina junto com a Universidade de Oxford, no Reino Unido.

Ainda de acordo com a Prefeitura de Belo Horizonte, a Secretaria Municipal de Saúde já entrou em contato com as duas instituições, "mas aguarda a definição da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e do Ministério da Saúde para o planejamento da campanha de vacinação contra a Covid19", diz em nota.

O texto ainda recorda que o Executivo municipal tem condições para adquirar a vacina, caso seja necessário, "e já adquiriu seringas para essa vacinação especificamente".

Vacinação em São Paulo

O governador de São Paulo, João Dória (PSDB) anunciou nesta segunda-feira (7), que a vacinação contra o novo coronavírus na cidade de São Paulo e em todo o estado vai começar no dia 25 de janeiro.

Os insumos necessários para fabricação e o transporte para distribuição das doses já estão prontos e só dependem da autorização da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

Já definido, o público-alvo da primeira fase do plano será dividido em três grupos: profissionais da Saúde, pessoas acima dos 60 anos e indígenas e quilombolas, que, no total, representam 9 milhões de pessoas no Estado.

Últimas