BH garante ter capacidade para aumentar em 34% número de leitos

Taxa de ocupação dos leitos de terapia intensiva aumentou 50% em duas semanas; já a de enfermaria passou de 38% para 53% no mesmo periodo 

Leitos de covid em UTIs de BH poderiam aumentar em 50%, segundo prefeitura

Leitos de covid em UTIs de BH poderiam aumentar em 50%, segundo prefeitura

Gil Leonardi/Imprensa MG

Desde a primeira fase de reabertura do comércio em Belo Horizonte, em 25 de maio, a taxa de ocupação dos leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) específicos para receber pacientes com covid-19 aumentou em 50%.

Em um intervalo de duas semanas, segundo números da prefeitura, a quantidade de leitos ocupados passou de 48% para 72%. Ao todo, são 220 leitos de UTI destinados a pacientes infectados pelo novo coronavírus e a ocupação total passou, nesse intervalo, de 105 para 158. 

O aumento da ocupação dos leitos também pode ser observado no caso da enfermaria. Das 4.416 vagas existentes em Belo Horizonte, 38% estavam ocupadas no dia 25 de maio e, 15 dias depois, nesta segunda-feira (8), essa taxa subiu para 53%. 

De acordo com a secretaria municipal de Saúde de Belo Horizonte, a capital mineira tem capacidade para oferecer quase 1.600 leitos adicionais, entre enfermaria e UTI, em caso de necessidade. 

Isso significa um incremento de 34% no total de leitos existentes hoje, que é de 4.636, somando terapia intensiva e enfermaria. 

"A capacidade de leitos de UTI para enfrentamento da doença será incrementada em 50%, o que também terá repercussão na taxa de ocupação", segundo a secretaria municipal de Saúde.

Casos e mortes

Além do aumento da taxa de ocupação nas últimas duas semanas, Belo Horizonte também teve elevação no número de casos e mortes em decorrência da covid-19. Segundo o boletim epidemiológico divulgado diariamente pelo Governo de Minas, os número de casos aumentou 75%, passando de 1.402 para 2.455. Já o número de óbitos saltou 40%, passando de 42 para 59.