Minas Gerais BH libera shows com até 600 pessoas e comércios aos domingos

BH libera shows com até 600 pessoas e comércios aos domingos

Bares poderão ter música ao vivo, mas as boates ainda não podem reabrir; eventos corporativos serão liberados em agosto

  • Minas Gerais | Pablo Nascimento, do R7

Shows só podem acontecer com público sentado

Shows só podem acontecer com público sentado

Ana Gomes/RecordTV Minas

A Prefeitura de Belo Horizonte anunciou, nesta quinta-feira (1º), o retorno dos shows, teatros, museus, cinemas e eventos na cidade, bem como a reabertura do comércio não essencial aos domingos.

Segundo o secretário de Saúde, Jackson Machado, as apresentações musicais e teatrais só poderão acontecer com o público sentado. O limite será de 600 pessoas, mas nos eventos com alimentação e bebida público máximo será de 400 participantes.

As medidas entram em vigor neste sábado (3), seguindo os protocolos já anunciados pela prefeitura no ano passado. Outra novidade anunciada é o retorno da música ao vivo nos bares. No entanto, as boates ainda não podem reabrir.

Os estabelecimentos devem seguir as medidas de segurança contra a covid-19, como uso de máscara, álcool em gel e limitação de público. A lista completa de regras para cada setor está disponível no site da prefeitura, neste link.

Os eventos corporativos poderão ser retomados a partir de agosto, com limite de 600 pessoas. Quando o público estimado seja maior, os órgãos municipais vão avaliar o caso individualmente.

Em caso de eventos sociais, como casamentos e aniversários, os organizadores devem enviar à prefeitura a lista completa com nome e contato dos convidados que terão que realizar um teste da covid-19 ou provar que estão imunizados.

O secretário Jackson Machado avaliou que foi possível autorizar a flexibilização diante os dados da pandemia na cidade que têm apresentado melhora graças à vacinação que chegou a 53,7% da população com mais de 18 anos na cidade.

— Com a vacinação, espero que a gente tenha proximidade do que achávamos que era normal antes da pandemia. Mas por enquanto, vamos manter as medidas todas de proteção com muita responsabilidade, para que não tenhamos que parar de novo

Últimas