Novo Coronavírus

Minas Gerais BH registra o primeiro caso de coronavírus em animal da cidade

BH registra o primeiro caso de coronavírus em animal da cidade

Cão infectado vive com casal que teve covid-19; ao menos 11 pets já tiveram diagnóstico positivo para o vírus em todo o Brasil

Cão da raça boxer infectado vive com casal que teve covid-19

Cão da raça boxer infectado vive com casal que teve covid-19

Reprodução / Pixabay

Belo Horizonte registrou o primeiro caso de animal infectado com o novo coronavírus. A informação foi divulgada em um estudo da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais), nesta segunda-feira (22).

David Soeiro, médico veterinário e professor da universidade, detalhou à reportagem que trata-se de um cão da raça boxer, que vive com um casal que teve covid-19 no mês de janeiro passado. Segundo o pesquisador, o cãozinho não apresentou sintomas da doença, o que pode acontecer em alguns animais.

— A nossa preocupação é entender como o vírus tem afetado os animais clinicamente.

O levantamento faz parte de uma pesquisa iniciada em outubro de 2020. Até o momento, sete animais foram testados pelo grupo de pesquisadores do Laboratório de Epidemiologia e Controle de Doenças Infecciosas e Parasitárias do Instituto de Ciências Biológicas da UFMG.

Soeiro explica que o vírus identificado nos exames do cachorro é o Sars-CoV-2, o mesmo que provoca a atual pandemia mundial. O professor, contudo, pede que a população tenha calma e não machuque os pets por causa disto. Segundo o pesquisador, os animais não transmitem o coronavírus para humanos e, sim, para outros animais.

  — Geralmente estes animais apresentam sintomas leves ou moderados. Então a gente deixa o alerta para que a pessoa infectada evite ter contato e dormir com o pet para não transmitir o vírus para ele.

O levantamento faz parte de uma pesquisa iniciada em outubro de 2020. A proposta inicial do Laboratório de Epidemiologia e Controle de Doenças Infecciosas e Parasitárias do Instituto de Ciências Biológicas da UFMG era recrutar quase 200 animais participantes. No entanto, o grupo ainda não conseguiu os recursos necessários para todos os atendimentos e acompanhou, até o momento, sete pets.

Além de Belo Horizonte, outras cinco capitais integram a rede de estudo. São elas:  Campo Grande (MS), Curitiba (PR), Recife (PE), São Paulo (SP) e Cuiabá (MT). Segundo a UFMG, já foram diagnosticados com o coronavírus um gato em Cuiabá; quatro cães e um gato, em Curitiba; dois gatos negião Metropolitana do Recife-PE; e um cão e um gato, em Campo Grande.

Como participar

A universidade ainda está recrutando participantes para o estudo. Os donos de pets interessados devem ter sido diagnosticados com covid-19 e enviar um e-mail para covidufmg@gmail.com. Segundo os pesquisadores, o teste realizado nos animais é similiar ao aplicado em humanos.

Últimas