Novo Coronavírus

Minas Gerais BH tem alta de todos os indicadores da covid-19 e bate novo recorde

BH tem alta de todos os indicadores da covid-19 e bate novo recorde

Ocupação de UTIs dedicadas à doença está em 93,4%; dados mostram situação mais crítica nos hospitais particulares

  • Minas Gerais | Pablo Nascimento, do R7

Os três indicadores estão na fase de alerta vermelho, o mais perigoso

Os três indicadores estão na fase de alerta vermelho, o mais perigoso

Reprodução / PBH

Todos os três indicadores que monitoram o avanço da covid-19 em Belo Horizonte apresentaram aumento nesta segunda-feira (15) e seguem em alerta máximo de risco.

Pela primeira vez desde o início da pandemia, o RT (ritmo de transmissão) chegou a 1,28, o que representa 128 novos infectados a cada 100 doentes. O maior índice registrado até então era o da última sexta-feira (12), quando o indicador chegou a 1,25.

Os dados da prefeitura mostram que os leitos para pacientes com coronavírus caminham em direção a um colapso. A média geral de ocupação das UTIs (Unidades de Tratamento Intensivo) para estes casos chegou a 93,4%.

Considerado apenas os hospitais particulares, a situação é mais delicada, já que 98% das vagas estão em uso. Na rede pública o percentual está em 89,7%. Ao todo, são 2.902 moradores mortos pela covid-19 e 123.982 oficialmente infectados.

Veja a variação dos indicadores:

     • RT: 1,25 para 1,28
    • Ocupação UTIs: 89,2% para 93,4%
    • Ocupação enfermarias: 75,6% para 78,9%

Isolamento

Nesta segunda-feira entrou em vigor um novo decreto com mais restrições para o comércio. Praças e áreas de lazer ao ar livre também foram fechadas. Para os próximos dias, a prefeitura promete fazer um estudo sobre as atividades dentro dos prédios comerciais.

Em coletiva na última semana, o prefeito Alexandre Kalil (PSD) disse acreditar que está nestes locais a explicação para o fato de não ter havido uma redução significativa no número de pessoas em trânsito na ciadade, mesmo com a suspensão das atividades não essenciais.

Últimas