Coronavírus

Minas Gerais BH tem escolas que não seguem protocolo da covid-19, diz pesquisa

BH tem escolas que não seguem protocolo da covid-19, diz pesquisa

Relatório da Câmara aponta que parte dos colégios municipais enfrentam dificuldades para cumprir regras da prefeitura

Resultados foram apresentados nesta quinta (10)

Resultados foram apresentados nesta quinta (10)

Divulgação / CMBH

Um levantamento da Câmara Municipal de Belo Horizonte aponta parte das escolas municipais não estão preparadas para o retorno às aulas presenciais. Algumas delas afirmam que não têm condições de cumprir os protocolos contra a covid-19 estabelecidos pela prefeitura.

O estudo foi realizado pelo grupo de trabalho da Comissão de Educação, Cultura, Ciência, Tecnologia, Desporto, Lazer e Turismo, criado em fevereiro deste ano. A primeira parte dos resultados foi apresentada durante reunião na casa, nesta quinta-feira (11).

A pesquisa foi feita durante quase um mês por meio de um questionário, que foi respondido por 112 das 530 escolas que compõem a rede pública e conveniada da cidade.

Os dados apontam que 43,7% dos colégios que respodenram não têm espaço suficente para cumprir o distanciamento mínimo de 1,5 metro com metade dos alunos presentes. Outros 25,8% disseram que atendem “parcialmente” a demanda e 30,3% afirmaram quetêm o espaço necessário.

Considerando a presença do estudantes nos refeitórios, 53,5% das escolas afirmaram não ter espaço suficiente para manter os alunos com a distância mínima nestes espaços.

Veja também: Prefeitura promete protocolo rígida para retorno das aulas em BH

O relatório também apontou necessidade de revitalização e readequação dos espaços, apontada por 81,2% dos gestores. Além disso, o número de funcionários para garantir a higienização de refeitórios, banheiros e bebedouros e para alimentar individualmente as crianças é insuficiente em mais da metade das escolas, cerca de 59,8% e 57,1%, respectivamente.

Durante a apresentação dos dados, o pesquisador Mateus Lemos, do Instituto Olhares, que participou da elaboração do projeto, afirmou que embora nem todas as escolas tenham respondido o questionário, o número de retornos é suficiente para indicar uma representação da rede escolar de BH "como um todo", com um índice de confiança de 95% com margem de erro de 8,25%.

Procurada, a Secretaria Municipal de Educação informou que desconhece "o teor e a origem da pesquisa". A pasta destacou ainda que todas as unidades escolares passaram por vistoria de engenharia antes do retorno presencial e estão dentro dos protocolos estabelecidos.

"A Secretaria Municipal de Educação de Belo Horizonte garante que todas as escolas da Rede Própria estão preparadas para o retorno das aulas presenciais. No caso da rede parceira, todos os recursos para as adequações e ajustes ao atendimento dos protocolos de segurança contra o Corona vírus foram repassados em 2020", explicou a prefeitura em nota.

Aulas presenciais

Pouco mais de um mês da volta às aulas presenciais na educação infantil, para crianças até 5 anos, a Prefeitura de BH anunciou a retomada no dia 21 de junho para crianças de até 12 anos. De acordo com as regras para escolas públicas e privadas, serão formadas microbolhas de até seis alunos por sala de aula, durante três horas, duas vezes por semana.

O Governo de Minas anunciou que a volta às aulas presenciais na rede estadual será no dia 21 de junho. O retorno às escolas será gradual e facultativo às famílias. As aulas retornarão para turmas do 1º ao 5º ano do ensino fundamental.

*Estagiária do R7, sob supervisão de Pablo Nascimento

Últimas