BH vai ampliar testagem com profissionais de serviços essenciais

Objetivo da prefeitura é fazer 30 mil exames por milhão de habitantes em trabalhadores da saúde, motoristas, atendentes e caixas de supermercado

Profissionais serão testados

Profissionais serão testados

Divulgação / Grupo DMA

Dois meses após determinar o isolamento social e restringir as atividades comerciais na cidade, a Prefeitura de Belo Horizonte vai dar início à ampliação da testagem para covid-19. O objetivo é fazer 30 mil exames a cada grupo de um milhão de habitantes. de acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), a capital mineira tem cerca de 2,5 milhões de habitantes. 

A prefeitura dividiu em grupos alguns dos setores profissionais de serviços essenciais, que estão em funcionamento, para verificar a imunidade dessas pessoas ao novo coronavírus. A primeira categoria avaliada será o dos profissionais de saúde das redes pública e privada. 

Sem dinheiro, Minas não vai fazer testes em massa contra covid-19

Em seguida, estão os motoristas do transporte coletivo e, depois, caixas e atendentes em supermercados, padarias, farmácias e drogarias de Belo Horizonte. Eles serão testados independentemente de apresentarem sintomas para a covid-19. 

A escolha desses grupos é justificada pela prefeitura pelo fato de eles estarem mais expostos ao vírus, mesmo com medidas protetivas, como uso de máscaras e álcool em gel, por exemplo. As informações quanto à dinâmica da contaminação neste grupo ajudarão na tomada de decisões sobre o eventual retorno de atividades que não estão em funcionamento no município.

Para o secretário municipal de saúde, Jackson Machado Pinto, com a ampliação dos testes, Belo Horizonte deve dobrar a média de exames feitos na Coréia do Sul. O país asiático é tido como um dos que melhor conseguiu controlar a expansão do novo coronavírus. 

— Com o resultado, vamos conseguir verificar como está a circulação do vírus e a imunidade desses segmentos da população, que exercem atividades essenciais. Nossa expectativa é testar 30 mil habitantes por milhão, o dobro do que foi realizado na Coreia do Sul

Testes

Segundo a Prefeitura de BH, a testagem, a partir de exames de sangue, será realizada três vezes, com diferença de 14 dias entre uma e outra, para dar tempo de comparar a presença de anticorpos e a intensidade de transmissão da doença nos segmentos testados. 

Para serem testadas, as pessoas devem assinar um Termo de Consentimento e a coleta do sangue, bem como o preenchimento de um questionário, será feito no local de trabalho de cada profissional.