tragédia brumadinho

Minas Gerais Bombeiros passam a usar máquinas pesadas no 8º dia de buscas em MG

Bombeiros passam a usar máquinas pesadas no 8º dia de buscas em MG

Lama seca permite o uso de equipamentos de grande porte para as equipes de resgate tentarem recuperar corpos. Até agora, 110 pessoas morreram

  • Minas Gerais | Vinícius Araújo, da Record TV em Brumadinho (MG)

Bombeiros usarão mais retroescavadeiras e máquinas pesadas a partir de hoje

Bombeiros usarão mais retroescavadeiras e máquinas pesadas a partir de hoje

Washington Alves/Reuters – 30.01.2019

No 8º dia consecutivo de buscas, o Corpo de Bombeiros passará a usar máquinas pesadas, a partir desta sexta-feira (1º), na busca por vítimas do mar de lama que se formou e varreu Brumadinho (MG) em decorrência do rompimento de uma barragem de rejeitos da Vale há uma semana. 

O chefe das operações em campo, tenente-coronel Anderson Passos, explicou que a coordenação das buscas no local da tragédia dividiu a área em duas: a zona quente, onde a lama ainda está mole e há risco para quem procura por vítimas, e a zona fria, onde a lama já secou.

Como existe uma parte da lama que já está firme, as equipes de resgate passarão a usar máquinas pesadas a partir desta sexta.

— A área é muito grande. Como as imagens têm mostrado, em algumas áreas, a lama está um pouco mais adensada e permite, inclusive, caminhar e aplicar máquinas pesadas, que é o que vamos fazer a partir de hoje. Normalmente, é isso que se faz a partir do 7º dia de evento.

Nos locais em que a lama ainda está mole, as buscas vão prosseguir conforme mostram as imagens de televisão, informou o tenente-coronel.

— Em outras áreas, a busca continua no método que vocês acompanharam. Algumas pessoas, os bombeiros e cães, tentando escorar aqueles locais em que a lama está um pouco mais umedecida. Então, a partir de hoje, nós acrescentamos uma quantidade maior de maquinário pesado.

O último balanço, da última quinta-feira (31), indicou que 110 corpos foram encontrados até agora. Outras 238 pessoas continuam desaparecidas e 394 foram localizadas. 

Assista abaixo à reportagem sobre as buscas desta sexta-feira

Veja as imagens de satélite para entender a tragédia:

R7

Entenda, no quadro abaixo, como foi a tragédia em Brumadinho:

R7

Últimas