tragédia brumadinho
Minas Gerais Brumadinho: camareira é enterrada sob o silêncio de helicópteros

Brumadinho: camareira é enterrada sob o silêncio de helicópteros

Jussara Ferreira dos Passos, que tinha 35 anos, foi enterrada, nesta terça-feira (5), em Córrego do Feijão, diante de aplausos e lágrimas de parentes e amigos

Heliponto dos bombeiros fica ao lado de cemitério

Heliponto dos bombeiros fica ao lado de cemitério

Wellington Mariano/ Record TV Minas

O corpo da camareira Jussara Ferreira dos Passos, que tinha 35 anos, foi enterrado nesta terça-feira (5), em Córrego do Feijão, diante de aplausos e bastante lágrimas de parentes e amigos. Como o cemitério do povoado de Brumadinho fica ao lado do campo de futebol improvisado como heliponto, as aeronaves permaneceram em terra para não atrapalhar a cerimônia de despedida e em respeito à memória da vítima da tragédia da Vale.

Uma afilhada da camareira passou mal e precisou de atendimento médico. Aos prantos, também foi amparada por amigos.

Outras pessoas também não esconderam a emoção e choraram. Quase todos encontraram forças para bater palmas quando o caixão foi colocado na cova.

Jussara cumpria aviso prévio no local de trabalho

Jussara cumpria aviso prévio no local de trabalho

Imagem Cedida / Jefferson Custódio

Jussara trabalhava na Pousada Nova Estância, soterrada pela avalanche de lama. Ela já havia informado aos proprietários que se desligaria da empresa em 1 de fevereiro, pois se mudaria para o Centro de Brumadinho, distante a quase meia hora do povoado. 

Por isso, estava treinando uma substituta. Quando a lama chegou à pousada, cerca de 35 pessoas, entre hóspedes e empregados, estavam no local. O casal de ptoprietários também foi soterrado.

Jussara deixou o marido e um filho, de 12 anos.