tragédia brumadinho
Minas Gerais Brumadinho: médico fura bloqueio e quase atropela manifestantes

Brumadinho: médico fura bloqueio e quase atropela manifestantes

Moradores da cidade fizeram protesto contra o aumento de 18% no valor das passagens de ônibus; estrada foi fechada nos dois sentidos com pneus

Motorista furou bloqueio feito com pneus

Motorista furou bloqueio feito com pneus

Reprodução / Redes sociais

Uma manifestação contra o aumento no valor das passagens de ônibus em Brumadinho, na região metropolitana de Belo Horizonte, por pouco não terminou em acidente, na manhã desta terça-feira (11). Um médico de 32 anos furou o bloqueio feito pelos moradores e quase atropelou manifestantes que estavam no local.

O protesto aconteceu na zona rural, em uma estrada que dá acesso a Brumadinho. Os moradores fecharam os dois lados da pista com pneus e galhos de árvore para reclamar do reajuste de 18% nas tarifas. Com a mudança, que entra em vigor nesta sexta-feira (13), a passagem mais barata passa de R$ 2,40 para R$ 2,83 e a mais cara de R$ 5,25 para R$ 6,20.

De acordo com a PM (Polícia Militar), durante a manifestação, R. M. B. J., 32 anos, perguntou aos militares se havia previsão para o fim do protesto, mas foi informado que a polícia ainda negociava com os moradores. Em seguida, o homem que se apresentou como um médico da Upa (Unidade de Pronto Atendimento) da cidade, voltou para a caminhonete que dirigia e passou por cima dos pneus que fechavam a estrada.

Um vídeo gravado no local mostra que manifestantes que estavam próximos à barricada quase foram atingidos. Durante a confusão, os militares determinaram a parada o motorista e ele foi detido por direção perigosa.

R. M. B. J. e testemunhas foram levados para prestar depoimento. Maria Emília Maia, de 37 anos, que estava na linha de frente do protesto, conta que ficou assustada com a situação.

— Eu pensei que ele iria nos matar.

O motorista alegou à Polícia Militar que furou o bloqueio após manifestantes se exaltarem e afirmarem que ele não poderia seguir viagem. Ainda de acordo com a PM, o suposto médico disse que não tinha combustível suficiente para retornar de onde teria saído.

 O suspeito foi encaminhado para a delegacia da cidade e deve ser ouvido pela delegada nesta tarde. A reportagem não localizou a defesa do detido. De acordo com a PM, cerca de 50 manifestantes participaram do ato.

Procurada, a Prefeitura de Brumadinho lamentou a atitude do médico e informou que o profissional não é servidor efetivo e, sim, contratado do município. Sobre o aumento da tarifa, a prefeitura alegou que não tem autonomia para decidir sobre o assunto.

“Essa decisão cabe ao Conselho Municipal de Transporte, que é formado por representantes da Polícia Militar, usuários do transporte coletivo, servidores públicos, taxistas, representantes de autoescolas, da empresa concessionária e do Clube dos Dirigentes Lojistas”, alegou em nota.

O órgão destacou, ainda, que o Conselho conseguiu barrar o reajuste de 92% solicitado pela Saritur, empresa responsável pelo transporte, e deixar o aumento de 18%. A prefeitura informou ainda que solicitou que não haja outra mudança no preço das passagens até dezembro de 2020 e que sejam ampliados os números de linhas e horários de ônibus. O R7 tenta contato com a Saritur.