Novo Coronavírus

Minas Gerais Busca por UTI faz MG transferir 51 pacientes entre regiões do Estado

Busca por UTI faz MG transferir 51 pacientes entre regiões do Estado

Dados do governo são referentes a internações solicitadas na última semana; fila de leitos tem 240 pessoas com covid-19

  • Minas Gerais | Pablo Nascimento, do R7

Cinco das 14 macrorregiões estão com mais de 90% de ocupação nas UTIs

Cinco das 14 macrorregiões estão com mais de 90% de ocupação nas UTIs

Fernando Bizerra/EFE

Ao menos 51 pacientes precisaram ser levados para uma região diferente da que moram em Minas Gerais para serem internados em um leito de UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) na última semana.

Os dados, confirmados à reportagem pela SES (Secretaria de Estado de Saúde), foram registrados pelo sistema de regulação de leitos, o SUSFácil, entre o último dia 31 de maio e este domingo (6).

A pasta leva em consideração uma divisão geográfica do Estado em 14 macrorregiões que abrangem os 853 municípios. Estas áreas, por sua vez, são subdivididas em microrregiões.

Assim, quando um paciente precisa de vaga em hospital, o sistema de saúde tenta o leito na microrregião e, caso não encontre, a solução é procurar em outras macrorregiões.

Dados da Secretaria de Saúde indicam que 240 pacientes com covid-19 aguardavam internação em um leito de UTI no Estado, nesta terça-feira (8). "A SES-MG reforça que os referidos números são dinâmicos e podem mudar ao longo do dia", destacou o governo em nota.

Hospitais cheios

O painel de monitoramento da SES-MG aponta que cinco macrorregiões estavam com mais de 90% de ocupação das UTIs dedicadas a pacientes com covid-19.

A mais crítica é a região Oeste, com 99,03%. Em seguida aparece Triângulo do Sul (97,5%), Centro-Sul (95,28%), Leste do Sul (93,9%) e Sul (93,27%).

Considerando os leitos gerais, que também incluem aqueles para pacientes sem coronavírus, a ocupação fica acima de 90% nas macros Centro-Sul, Oeste, Sul e Triângulo do Sul.

Nesta terça-feira (8), sem comentar especificamente sobre as transferências entre regiões, o secretário de Saúde de Minas Gerais, Fábio Baccheretti, avaliou que vê com preocupação o avanço da pandemia no Estado.

— A vacina é a única saúda da pandemia.

Na última semana, um hospital de São Sebastião do Paraíso, a 400 km de Belo Horizonte, na divisa com São Paulo, transferiu pacientes para um município paulista. Apesar do crescimento na busca por internações, Baccheretti afirmou que a medida não foi determinada pelo Governo de Minas.

— Essa transferencia foi feita, provavelmente, diretamente entre um hospital e outro. Não foi pelo SUSFácil.

Últimas