Minas Gerais Camareira é agredida por testemunhar sequestro de lavrador escravizado no sul de Minas

Camareira é agredida por testemunhar sequestro de lavrador escravizado no sul de Minas

Agressor invadiu hotel onde ela trabalha; denunciante continua desaparecido

  • Minas Gerais | Do R7 MG com Record Minas

Trabalhador teria sido retirado à força do hotel por um fazendeiro

Trabalhador teria sido retirado à força do hotel por um fazendeiro

Record Minas

A camareira que teria testemunhado o sequestro de Hélio Costa de Araújo, lavrador que denunciou um esquema de trabalho escravo em uma fazenda de Campanha, no sul do Estado, foi agredida e ameaçada de morte no próprio trabalho. Depois que conseguiu escapar da propriedade rural onde era mantido à força, Araújo desapareceu.

Segundo a Polícia Militar, um homem chegou ao hotel onde a camareira trabalha e pediu um quarto. A mulher acompanhou o suposto cliente até o quarto e acabou sendo brutalmente agredida. O suspeito ainda fez várias ameaças contra a vítima.

Leia mais notícias no R7 MG

O caso

O lavrador continua desaparecido. A Polícia Militar acredita que ele possa ter sido sequestrado pelo fazendeiro Paulo Alves de Lima, que mantinha cinco funcionários em situação degradante.

O trabalhador conseguiu escapar da propriedade depois de cinco meses de exploração. Ele acionou o Ministério do Trabalho e estava abrigado em um hotel de Varginha, na mesma região.

Leia mais notícias no R7 MG

Segundo a polícia, o fazendeiro teria ido até o hotel, pago a conta do lavrador e retirado o homem do local à força. Lima não foi mais visto desde então.

Com o desaparecimento, os militares tiveram autorização da Justiça para invadir a fazenda. Vítor Lúcio da Silva vivia no local e foi salvo pelos policiais.

— Eu não estava aguentando ficar lá mais.

As vítimas eram impedidas de deixar a propriedade e tinham os documentos confiscados assim que chegavam à fazenda. Pelo menos outros dois lavradores eram mantidos sob a mesma condição. Eles ainda não foram encontrados.

Últimas