Minas Gerais Camaronês é suspeito de oferecer "livro de fazer dinheiro" em golpe

Camaronês é suspeito de oferecer "livro de fazer dinheiro" em golpe

Estrangeiro teria tentado trocar o objeto "mágico" por uma padaria na cidade de São José da Lapa (MG); investigado foi preso

  • Minas Gerais | Pablo Nascimento, do R7

Um camaronês de 48 anos foi preso, nesta segunda-feira (16), suspeito de tentar aplicar um golpe em um casal de comerciantes na cidade de São José da Lapa, na região metropolitana de Belo Horizonte.

De acordo com as vítimas, Hadabi Aladji ofereceu a elas um “livro mágico” que supostamente reproduz dinheiro falso em troca da padaria do casal, que está à venda e foi anunciada pela internet.

Circuito de segurança flagrou suposto golpe

Circuito de segurança flagrou suposto golpe

Reprodução / Record TV Minas

A oferta aconteceu no escritório do estabelecimento, conforme explica a empresária de 32 anos, que prefere não ser identificada.

— Quando eu perguntei como seria feito o pagamento, ele retirou da bolsa o livro que parecia uma caixa, pegou dois frascos com líquidos dentro e começou a fazer a demonstração. Após aplicar o produto, ele retirava notas lá de dentro.

Ao perceber a tentativa de golpe, a comerciante, que também é contadora, alertou uma funcionária para acionar a PM (Polícia Militar). Os agentes encontraram o suspeito ainda no estabelecimento.

— Quando eu vi aquela situação, perguntei a ele se estava zombando de mim. Inicialmente, eu pensei que ele estava falsificando dinheiro dentro da minha loja, mas depois os policiais me explicaram que o dinheiro era verdadeiro e já estava dentro da caixa.

Investigação

O circuito de segurança da padaria filmou a reunião entre os empresários e Aladji. O vídeo também mostra o suspeito demostrando aos militares como “a máquina” funciona, alegando que não trava-se de falsificação.

O camaronês foi preso e levado para a Penitenciária de Pedro Leopoldo, também na região metropolitana de Belo Horizonte.

Em depoimento, ele negou a tentativa de golpe e afirmou que tinha interesse em comprar o estabelecimento.

O livro apelidado de “mágico” pelos policiais foi apreendido. O material é das cores roxa e branco e é estampado com o desenho de um leão e uma girafa. Procurada, a Polícia Civil informou que investiga o caso. A reportagem não localizou a defesa do investigado.

Histórico

Conforme apurado pelo R7, um outro empresário de Belo Horizonte denunciou o camaronês por uma tentativa de golpe similar, em fevereiro de 2019.

Na época, o comerciante relatou que estava vendendo sua loja de autopeças e foi procurado por Aladji, que estaria interessado em comprar o estabelecimento.

O boletim de ocorrência indica que, na reunião de negociação, o estrangeiro apresentou uma máquina que "multiplicaria dinheiro", usando um líquido desconhecido e um papel preto. O investigado teria dito ao empresário que usaria parte daquelas cédulas para pagar pela compra da loja.

A polícia também foi chamada e o suspeito negou o crime, alegando aos militares que iria quitar a negociação com o dinheiro que seria enviado por um irmão que mora na Suíça.

Últimas