Cartórios de MG registram 78% mais mortes por covid-19 que governo

Segundo o Portal da Transparência do Registro Civil, até o momento, foram expedidos 143 atestados de óbito para covid-19; Governo fala em 80 mortes

Prefeitura de BH abriu 1.900 covas como "prevenção"

Prefeitura de BH abriu 1.900 covas como "prevenção"

Reprodução/RecordTV Minas

Os cartórios de Minas Gerais registraram 78% a mais no número de mortes causadas em decorrência da covid-19 que a SES-MG (Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais).

Levantamento do Portal da Transparência do Registro Civil mostra que, até o momento, 143 atestados de óbito trouxeram como justificativa a confirmação ou suspeita de covid-19. Nesta quarta-feira (29), o boletim epidemiológico da SES-MG apontou 80 mortes pela doença

As informações, conforme o Portal da Transparência, tem como fonte o CRC Nacional (Central de Informações do Registro Civil).

Veja: Covid em BH: região Centro-Sul tem mais mortes e Oeste tem mais casos

De acordo com o levantamento, o primeiro óbito causado em decorrência da covid-19 foi registrado em 22 de março. Oficialmente, no entanto, o Governo de Minas aponta como primeiro caso de morte no Estado uma morte do dia 29 de março, registrada dois dias depois, em 31 de março. A primeira vítima, oficialmente, é uma idosa de 82 anos, que estava internada em Belo Horizonte. 

Ainda segundo o CRC, 10 pessoas morreram em decorrência de covid-19 no dia 8 de abril, a data com maior número de registros até o momento. No entanto, segundo boletins epidemiológicos da SES-MG, nessa mesma data houve quatro óbitos em Minas Gerais pelo mesmo motivo, nas cidades de Divinópolis, Governador Valadares (2) e Nova Serrana. 

A reportagem entrou em contato com a assessoria de imprensa da SES-MG para saber os motivos da diferença entre os dados. Segundo o boletim divulgado nesta quarta-feira, são 95 óbitos em investigação. 

Outros Estados

A diferença entre o número de mortes confirmadas ou suspeitas de covid-19 nos cartórios e nos governos estaduais também é constatada em algumas cidades.

No Rio de Janeiro, os dados oficiais apontam 496 mortos mas, nos cartórios, são 1.152. Em São Paulo, a diferença é de 117 (1.337 nos boletins oficiais e 1.454, nos cartórios).