Minas Gerais Casal e adolescente são suspeitos de armar emboscada para matar jovem em Ponte Nova (MG)

Casal e adolescente são suspeitos de armar emboscada para matar jovem em Ponte Nova (MG)

Vítima, de 22 anos, foi baleada na cabeça na saída do trabalho, mas sobreviveu; uma jovem de 13 anos foi apreendida 

  • Minas Gerais | Andréa Silva, da Record TV Minas

Balconista foi atingida pelo disparo
 na saída do trabalho

Balconista foi atingida pelo disparo na saída do trabalho

Reprodução/Redes So ciais

Uma balconista de 22 anos foi vítima de uma tentativa de feminicídio na última sexta-feira (15), no bairro Palmeiras, no município de Ponte Nova, Zona da Mata, localizado a 180 km de Belo Horizonte. A vítima foi baleada na cabeça na saída do trabalho, na frente de colegas e outras testemunhas. O suspeito do disparo é o ex-namorado da jovem, um rapaz de 23 anos, com quem tem uma filha de quase dois anos. A balconista teria sido vítima de uma emboscada armada pelo ex, a atual namorada dele e uma adolescente de 13 anos, que é prima do suspeito.

A menor foi apreendida e confirmou a participação no crime, porém, disse ter agido sob coação, já que o primo teria ameaçado matar ela e toda sua família, ateando fogo na casa onde eles moram.

A Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros foram chamados para prestar socorro a jovem baleada. A vítima estava consciente, com sangramento na cabeça e disse não ter visto quem fez o disparo, já que a pessoa se aproximou dela pelas costas, encostou a arma em sua cabeça e atirou. Ela chegou a desmaiar e quando acordou estava sendo amparada pelas amigas e em seguida pela equipe do Corpo de Bombeiros. A jovem foi levada para o Hospital Arnaldo Gavazza, onde segue internada após passar por cirurgia na cabeça.

Segundo a PM, o crime ocorreu pouco antes das 21h. A balconista é funcionária de uma padaria. Ela tinha acabado de sair do serviço e caminha entre duas amigas do trabalho, em direção ao ponto de ônibus. Uma das testemunhas contou aos policiais militares que o ex namorado da vítima se aproximou por trás delas, colocou a mão esquerda no ombro esquerdo da vítima, e depois de dar um leve puxão nela, encostou a arma na parte de trás da cabeça da jovem e atirou.

As testemunhas contaram que o autor ainda teria esperado a ex cair, parecendo certificar de que a havia matado, depois ele colocou a arma calmamente na cintura e só correu ao ver a vítima sangrando e inconsciente no chão. O rapaz foi visto indo em direção a Travessa Antônio Gomes de Queiroz.

Emboscada

Uma das amigas da vítima informou a PM que na quinta-feira (14), a menor, prima do suspeito, ligou para a padaria, atrás da balconista, dizendo que precisava entregar para ela um pacote de fralda. Após muita insistencia da adolescentes as duas combinaram de se encontrar, porém, quando a menor chegou ao trabalho da vítima ela já tinha ido embora, por causa do horário do ônibus. A garota então entregou o pacote para a amiga da vítima e saiu.

Porem, na sexta-feira à tarde ela retornou a padaria, dizendo que iria trocar o pacote de fraldas pelo tamanho cerco e depois da balconista dizer que não era necessário, a menina foi embora e a vítima seguiu no trabalho até a noite. A outra amiga apresentou a mesma versão e disse que desconfiava da participação da adolescente no crime.

Diante das informações passadas pelas testemunhas, a PM enviou uma viatura para a residência onde a menor mora e a ela foi apreendida assim que desembarcou de uma motocicleta conduzida por um motoboy. Ao ser questinada sobre a tentativa de feminicídio contra a ex namorada do primo, a menor, na presença da avo, confessou sua participação. Ela afirmou ter sido coagida pelo primo e a atual namorada dele. Também contou que o primo fez ameaças, dizendo que iria jogar gaolina na casa e atear fogo para que todos morressem. Com medo, a menor aceitou ajudar e o primo ainda disse que lhe daria R$ 100 na segunda-feira (18).

Ainda de acordo com a PM, a menina contou que no dia 14 Amanda usando o próprio celular para ligar na padaria onde a balconista trabalha e colocou a menor para falar com a vítima e prometendo lhe dar as fraldas. Ainda segundo a adolescente, quando foi levar a fralda à noite, o primo e a namorada dele ficaram esperando próximo ao ponto de ônibus para matar a balconista, porém, ela tinha ido embora um pouco mais cedo. O ex, a atual namorada e a menor então chamaram um carro de aplicativo e foram até o bairro onde a vítima mora.

A adolescente chegou a ir até a casa da balconista e enquanto conversava com ela, a namorada do primo enviou mensagem para o celular dela, pedindo que arrumasse um jeito de fazer a vítima sair, porém, a menor mentiu, dizendo que tinha muita gente na casa.

Espera

Na sexta-feira os três ficaram de tocaia à espera da saída da balconista. A missão da adolescente era avisar ao primo quando a ex dele saísse. O ex da vítima ficou escondido atrás de um caminhão e a namorada dele na rua de trás. Depois do crime, a menor e a namorada do primo se encontraram. A menor contou que a namorada do primo foi quem chamou a moto de aplicativo e quem teria comprado a arma para o namorado e que os dois queriam mater a balconista, alegando que ela teria feito "macumba" para o ex.

Últimas