Novo Coronavírus

Minas Gerais "Casos estão mais graves", diz secretário de BH sobre covid-19

"Casos estão mais graves", diz secretário de BH sobre covid-19

Prefeitura da capital mineira decidiu recuar no processo de flexibilização; a partir de segunda-feira (29), só comércios essenciais podem abrir

BH voltará à fase 0 da flexibilização

BH voltará à fase 0 da flexibilização

Record TV Minas/Reprodução

O secretário de saúde de Belo Horizonte, Jackson Machado, alertou que a capital mineira enfrenta não só um aumento no número de casos de covid-19, mas que eles tem sido mais graves. 

— Os pacientes que estão na enfermaria pioram muito rápido o seu estado e passam a demandar atendimento no CTI. Houve aumento não só no número de casos, mas também da gravidade de casos. 

Nesta sexta-feira (26), o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), determinou que, a partir da próxima segunda-feira (29), a cidade volte à fase 0 no processo de reabertura do comércio, apenas com o funcionamento dos estabelecimentos essenciais

Durante o mês em que parte do comércio belo-horizontino se manteve aberto, o número de óbitos triplicou — passando de 42 para 118 — e a quantidade de casos também explodiu, passando de 1.444 para 4.977. 

Para a prefeitura, no entanto, a decisão de flexibilizar o isolamento social em 25 de maio foi acertada porque havia uma "janela" que permitia uma maior circulação das pessoas nas ruas e, ao mesmo tempo, garantir atendimento a quem, por ventura, necessitasse. 

Indicadores

Os três indicadores da Prefeitura de Belo Horizonte divulgados nesta sexta-feira (26), colocam a cidade em estado de alerta vermelho. A taxa de ocupação dos leitos de UTI atingiu 85% e, os de enfermaria, 69%. 

Já o R0, taxa de transmissão média por infectado está em 1,09. Isso significa que, a cada grupo de 100 pessoas infectadas, há transmissão para outras 109 pessoas. 

De acordo com o secretário Jackson Machado, outros indicadores corroboraram a necessidade de recuar no processo de reabertura econômica. Um deles é a demanda do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), que passou de 50 para 100 viagens diárias. 

De acordo com matéria do R7, a gerência do Samu tem adotado um protocolo excepcional para transportar mais de um paciente com suspeita de covid-19 por vez. 

— Os casos estão aumentado. As UPAs (Unidades de Pronto Atendimento) estão lotadas. Se vocês forem às UPAs hoje vão ver muitos casos de covid. 

Segundo Machado, nesta semana, houve casos de centros de saúde que fecharam após às 23h (o habitual é 19h) para aguardar que as ambulâncias do Samu chegassem para levar pacientes. 

Últimas