Novo Coronavírus

Minas Gerais Com alta na ocupação de UTI, BH planeja mais 92 leitos até julho

Com alta na ocupação de UTI, BH planeja mais 92 leitos até julho

Taxa de ocupação saltou de 48% para 81% em três semanas; Vinte leitos foram integrados à rede e mais 30 são esperados até o fim da semana

Ocupação de leitos de UTI aumentou em BH

Ocupação de leitos de UTI aumentou em BH

Leonardo Oliveira

A taxa de ocupação de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) na rede pública de Belo Horizonte atingiu 81% nesta terça-feira (16), segundo dados da secretaria municipal de saúde. Para se ter uma ideia, no dia 25 de maio, quando a prefeitura deu início à reabertura gradual do comércio na cidade, essa taxa era de 48%.

A capital mineira conta, neste momento, com 246 vagas específicas para a covid-19 em 18 hospitais da rede. Nesta semana, foram abertos 26 novos leitos, ampliando a capacidade de atendimento do município, que era de 220 até o fim de maio. 

De acordo com a secretaria municipal de Saúde, outros 92 leitos de UTI adulto são previstos para os próximos 30 dias. Ao longo dessa semana, um terço deles já deve fazer parte da rede municipal, que vai passar a contar com 276 vagas. Ainda segundo a pasta, todos esses leitos são novos e contam com respiradores.

Indicadores

A taxa de ocupação de leitos de UTI específicos para atendimento a pacientes com covid-19 é um dos três indicadores monitorados diariamente pela Prefeitura de Belo Horizonte que servem como norte para a reabertura gradual do comércio na cidade. 

Até o momento, 93% dos estabelecimentos já foram autorizados a reabrir, mas a alta da taxa de ocupação de leitos de UTI e o aumento da taxa média de transmissão do novo coronavírus impediram a prefeitura de autorizar a reabertura dos demais estabelecimentos na última sexta-feira (12). 

Últimas