Minas Gerais Com AstraZeneca em falta, BH aplica segunda dose da Pfizer

Com AstraZeneca em falta, BH aplica segunda dose da Pfizer

Mistura das marcas de vacina é autorizada pelo Ministério da Saúde; medida afeta moradores com 36 anos, segunda a prefeitura

  • Minas Gerais | Vanda Sampaio, da Record TV Minas

Médico explica que medida é eficaz

Médico explica que medida é eficaz

Evaristo Sá/AFP - 13.09.2021

Moradores de Belo Horizonte com 36 anos, imunizados com a vacina AstraZeneca, receberam segunda dose do imunizante da marca Pfizer devido ao baixo estoque do medicamento da primeira aplicação, nesta quinta-feira (21).

A falta de AstraZeneca registrada em diferentes cidades brasileiras ocorre em função de atrasos na entrega   por parte do laboratório. Até então, a capital mineira não havia usado a mistura de duas marcas diferentes para completar o ciclo vacinal. A operação é permitida pelo Ministério da Saúde.

Em nota técnica, a Secretaria Extraordinária de Enfrentamento á Covid do Ministério da Saúde, informa que de maneira geral, não se recomenda a intercambialidade de vacinas da Covid-19, ou seja, tomar doses de imunizantes de fabricantes diferentes. No entanto, em situações de exceção, onde não for possível administrar a segunda dose da vacina do mesmo fabricante, outra poderá ser administrada. A segunda dose deve ser tomada no intervalo previamente determinado, respeitando o intervalo adotado para o imunizante utilizado na primeira dose.

Já os moradores que tenham sido imunizados inadvertidamente com duas vacinas de fabricantes diferentes, deverão notificar como erro de imunização no Sus Notifica e serem acompanhados com relação ao desenvolvimento de eventos adversos. Nesse caso não se recomenda a administração de doses adicionais de vacinas contra a covid-19.

O infectologista e professor Unai Tupinambá conta que pesquisas feitas na Espanha revelam que a mistura das vacinas da AstraZeneca e Pfizer gera risco à população.

—  O estudo indica que quem tomou a primeira dose de AstraZeneca e a segunda de Pfizer produziu até mais anticorpos do que as pessoas que tomaram as duas marcas iguais.

O especialista também explicou que a aplicação de vacinas diferentes não prejudica a dose de reforço.

— Se você tomou a primeira AstraZeneca e segunda Pfizer e estiver no grupo prioritário para receber a terceira, pode tomá-la.

O publicitário Luís Moura foi até o posto de saúde Noraldino Lima, na região Oeste, para se vacinar quando descobriu que teria que tomar uma marca diferente. Ele preferiu não receber o medicamento.

— Saiu uma pessoa de lá de dentro falando que não tinha a AstraZeneca disponível na região Oeste e me deram a opção de receber Pfizer. Eu me senti inseguro de tomá-la porque as vacinas são muito recentes.

Regularização de estoque

Segundo a prefeitura, a Secretaria Municipal de Saúde recebeu no fim da tarde desta quinta-feira 25.750 doses da AstraZeneca e regularizou o estoque. Assim, os moradores que não foram atendidos ontem podem receber a marca correta a partir desta sexta-feira (22) nos pontos de repescagem. A lista de locais está disponível neste link.

Um estoque com 206.250 unidades chegou ao Estado durante a quinta-feira. Ele faz parte da 60ª remessa de imunizantes enviados ao Estado.

Segundo a Prefeitura de Belo Horizonte, agora, o único o próximo grupo que precisa ser atendido com AstraZeneca na cidade é o dos jovens de 23 anos, com aplicação prevista para novembro.

Minas Gerais tem hoje 87,03% da população com mais de 12 anos com a primeira dose aplicada e 59,97% com o ciclo completo. Em Belo Horizonte, os níveis estão em 82,7% e 57,6% respectivamente.

Veja o calendário de vacinação em BH para os próximos dias:

Sexta-feira (22): segunda dose para pessoas de 35 anos, cuja data para o imunizante esteja marcada até 29 de outubro;

Segunda-feira (25): dose de reforço para idosos de 69 e 68 anos, cuja segunda dose tenha completado 6 meses ou que faltem até 15 dias para completar este prazo; e segunda dose para adolescentes de 12 a 17 anos, com comorbidades, deficiência permanente, gestantes, puérperas e lactantes. 

Terça-feira (26): segunda dose para pessoas de 34 anos, cuja data para o imunizante esteja marcada até 29 de outubro 2 de novembro. É necessário levar o cartão de vacina, o documento de identidade, CPF e comprovante de residência em Belo Horizonte;

Quarta-feira (27): segunda dose para pessoas de 31 anos, cuja data para o imunizante esteja marcada até 3 de novembro; 

Quinta-feira (28): repescagem de dose de reforço para idosos e trabalhadores da saúde já convocados, cuja segunda dose tenha completado 6 meses ou que faltem até 15 dias para completar este prazo; repescagem de dose adicional para pessoas com alto grau de imunossupressão já convocadas, cuja segunda dose tenha completado 28 dias;

Sexta-feira (29): dose de reforço para idosos com mais de 89 anos, cuja segunda dose tenha completado 6 meses ou que faltem até 15 dias para completar este prazo; segunda dose para pessoas de 30 anos, cuja data para o imunizante esteja marcada até 5 de novembro;

Últimas