tragédia brumadinho
Minas Gerais Congonhas (MG) determina revisão de plano de segurança de barragens

Congonhas (MG) determina revisão de plano de segurança de barragens

Todas as estruturas que estão na cidade ou podem afetar a população do município deverão passar por avaliação em até 30 dias

Barragem de rejeitos causa medo em moradores

Barragem de rejeitos causa medo em moradores

BBC NEWS BRASIL

A Prefeitura de Congonhas, a 75 quilômetros de Belo Horizonte, determinou nesta segunda-feira (4) que as mineradoras que atuam na região devem revisar os protocolos de segurança de todas as barragens que possam afetar a cidade.

De acordo com a Secretaria Municipal de Meio Ambiente, a medida foi adotada para garantir segurança e transparência em relação à estabilidade das estruturas.

Congonhas (MG) vive o medo de desaparecer sob barragem

Na última quarta-feira (30), a mineradora CSN decidiu desativar a barragem Casa de Pedra, que fica acima de uma área residencial na cidade. Após a tragédia que atingiu Brumadinho, os moradores de Congonhas se mobilizaram para barrar o funcionamento da represa.

Além da CSN, o Executivo municipal notificou as empresas Ferrous Ressource do Brasil e Vale. As companhias também deverão informar os resultados do processo à Semad (Secretaria de Estado de Meio Ambiente) e à ANM (Agência Nacional de Mineração) em até 30 dias. Caso contrário, elas estarão sujeitas ao pagamento de multa diária de R$8.380. A reportagem procurou as empresas notificadas, mas aguarda retorno.

Imagens aéreas mostram antes e depois da tragédia da Vale: