Novo Coronavírus

Minas Gerais Contagem (MG) volta a fechar comércio e proibir eventos

Contagem (MG) volta a fechar comércio e proibir eventos

Novas restrições começam a valer nesta quarta-feira (10) e devem durar 21 dias, segundo a prefeita Marília Campos

  • Minas Gerais | Pablo Nascimento, do R7

Decreto de Contagem deve durar 21 dias

Decreto de Contagem deve durar 21 dias

Reprodução / Record TV Minas

Todo comércio considerado não essencial de Contagem, na Grande BH, está proibido de funcionar a partir desta quarta-feira (10).

A decisão para conter a pandemia de covid-19 foi anunciada pela prefeita Marília Campos (PT), na tarde desta segunda-feira (8).

O decreto com os detalhes ainda será divulgado e deve valer por 21 dias. No entanto, a prefeitura adiantou que entre as atividades proibidas estarão lojas de roupas, de sapatos, casas de shows, eventos, seminários e feiras.

Os bares, restaurantes, padarias e lanchonetes só poderão funcionar para retirada dos produtos no local ou para delivery.

Marília Campos ainda destacou que há a possibilidade de haver um toque de recolher das 20 horas às 5 horas, seguindo Onda Lilás, criada pela Granbel (Associação de Municípios da Região Metropolitana de Belo Horizonte). O assunto, no entanto, ainda não foi definido.

— Só é possível a restrição na circulação de pessoas caso tenhamos uma articulação metropolitana. Temos a intenção de aderir à decisão da Granbel, mas deixando claro que só será viabilizado se houver a articulação.

Segundo Marília, as medidas são importantes diante o aumento registrado nas internações de pacientes com covid-19 nos últimos dias. Atualmente, a ocupação das UTIs (Unidades de Tratamento Intensivo) para a doença está em 93%.

— Tive uma reunião com o comitê de enfrentamento à covid-19 e decidimos não esperar atingir 100% da ocupação dos leitos para fechar a cidade.

As medidas anunciadas em Contagem são similares às adotadas em Belo Horizonte desde o último sábado (6).

Serviço público

A orientação é que todos os servidores da prefeitura sejam colocados em home office nos próximos dias. Cada secretaria vai divulgar um decreto indicando quais são os serviços essenciais que serão mantidos.

Os funcionários dos grupos de risco serão afastados caso não possam realizar suas atividades por teletrabalho.

Últimas