Novo Coronavírus

Minas Gerais Coronavírus: BH bate a maior taxa de transmissão dos últimos 9 meses

Coronavírus: BH bate a maior taxa de transmissão dos últimos 9 meses

Índice que monitora a pandemia de covid-19 voltou a atingir o nível máximo de alerta ao subir de 1,06 para 1,2 nos últimos três dias

  • Minas Gerais | Pablo Nascimento, do R7

Índice sobe para 1,2 e chega à fase vermelha

Índice sobe para 1,2 e chega à fase vermelha

Reprodução / Record TV Minas

Belo Horizonte atingiu, nesta segunda-feira (1º), o maior nível de transmissão da covid-19 registrado desde 31 de maio de 2020, ou seja, há nove meses.

Dados da prefeitura indicam que nos últimos três dias o índice subiu de 1,06 para 1,2, passando da fase amarela para a vermelha, considerada de alerta máximo. Este é o segundo maior recorde do indicativo, perdendo apenas para o 1,24 registrado em maio do ano passado.

Na prática, o número divulgado nesta segunda-feira indica que um grupo de 100 pessoas é capaz de infectar outras 120. Para redução da pandemia é necessário que o índice fique abaixo de 1.

A Prefeitura de BH reconheceu que a situação é preocupante. "Há a hipótese de impacto do carnaval e, por isso, devemos acompanhar a dinâmica da doença durante esta semana para definir os rumos da flexibilização", avaliou a Secretaria Municipal de Saúde em nota.

"Mas, para que esse índice tenha impactos em níveis mais críticos nos leitos de ocupação COVID, é necessário que ele se mantenha nesse patamar elevado nos próximos dias", completou o texto.

Covid-19 em BH

Outros dois índices são usados para monitorar o avanço da pandemia na capital mineira. Ambos tiveram piora desde a última sexta-feira (26), quando foi divulgado o boletim anterior da prefeitura. Confira:
    
    • Ocupação de UTIs covid-19: passou de 70,1% 74,7% (alerta vermelho)
    
    • Ocupação de enfermarias covid-19: passou de 56,2 para 58,3% (alerta amarelo)

Até o momento, são 2.746 mortes e 112.230 infecções confirmadas, sendo 15 óbitos e 1.769 casos lançados no relatório desta segunda-feira. Segundo a prefeitura da capital mineira, 115.558 moradores receberam a primeira dose da vacina, enquanto a segunda foi aplicada em 59.012 pessoas.

Comércio

Atualmente, os serviços considerados não essenciais podem funcionar em Belo Horizonte, desde que cumpram as medidas de isolamento e proteção dos clientes e trabalhadores. Bares e restaurantes estão abrindo, com horários reduzido, das 11h às 22h, com autorização para venda de bebidas alcoólicas.

Últimas