Coronavírus: Governo de MG avalia parceria com hospitais privados

Medida é para suprir possível demanda por UTIs (Unidades de Tratamento Intensivo), caso cresça o número de contaminações no Estado

Governo anunciou estado de emergência

Governo anunciou estado de emergência

Natália Jael / Record TV Minas

A SES (Secretaria de Saúde de Minas Gerais) informou, nesta sexta-feira (13), que estuda fazer parcerias com hospitais particulares para suprir uma possível demanda por UTIs (Unidade de Tratamento Intensivo) caso aumente o número de contaminações por coronavírus no Estado.

De acordo com o subsecretário de Políticas e Ações de Saúde da SES, Marcílio Dias Magalhães, o atendimento nestas unidades é o maior gargalo do Estado atualmente, que conta com 2.795 leitos.

Além disto, a equipe de saúde deve reduzir o número de cirurgias eletivas e comprar insumos para garantir o atendimento aos pacientes que apresentarem sintomas. Atualmente, Minas tem dois casos confirmados e 289 em investigação. 

— Nossa intenção é deixar aquelas cirurgias que podem ser feitas daqui a dois ou três meses para quando passar esta fase mais aguda do coronavírus.

Abraços

Durante coletiva, Magalhães afirmou que as medidas são preventivas e pediu que a população tenha calma. No entanto, o especialista pediu para que os moradores evitem cumprimentar as pessoas com abraços, beijos e apertos de mão. Além disso, sempre limpar as mãos com álcool.

Leia também: China anuncia fim do pico de coronavírus no país

Nesta manhã foi divulgado no Diário Oficial do Estado um decreto de situação de emergência em saúde devido ao risco de proliferação do Covid-19. Na prática, a medida serve para que o Governo não precise fazer licitações para comprar os insumos necessários ao combate da doença.