tragédia brumadinho

Minas Gerais Corretor não entrega imóvel e fica com R$ 92 mil de indenizada da Vale

Corretor não entrega imóvel e fica com R$ 92 mil de indenizada da Vale

Ex-moradora de Brumadinho (MG) deixou o dinheiro com o vendedor para a compra de um apartamento em Contagem, onde ela tenta recomeçar a vida

  • Minas Gerais | Pablo Nascimento, do R7

Cristiane deixou Brumadinho após tragédia

Cristiane deixou Brumadinho após tragédia

Reprodução / Record TV Minas

A Polícia Civil investiga um golpe sofrido por uma auxiliar de serviços gerais indenizada pela Vale devido ao rompimento da barragem da empresa em Brumadinho, na Grande BH.

Segundo a denúncia, a mulher deixou R$ 92 mil da indenização com um corretor de imóveis, mas o valor foi usado para pagar dívidas da imobiliária e ela ficou sem o apartamento prometido.

Cristiane Aline da Cruz, de 37 anos, negociou com o corretor Renato Trindade a compra de dois imóveis, em Contagem, também na região metropolitana de Belo Horizonte, onde tenta reconstruir a vida. A auxiliar de serviços gerais deixou Brumadinho e foi indenizada por ter desenvolvido uma série de problemas psicológicos após o colapso da barragem.

A mulher, que agora está desempregada, suspeitou da demora de resposta de Trindade em relação ao segundo apartamento e decidiu procurar os donos do imóvel negociado. Ao conversar com os proprietários, foi surpreendida com a resposta recebida.

— Ela [a proprietária] disse que o apartamento já tinha sido vendido e que não estava nesta imobiliária com a qual eu tenho vínculo.

Thaís Teixeira, advogada de Cristiane, explica que tentou contato com Trindade para reaver os R$ 92.600 já pagos. A advogada do corretor ofereceu um acordo que a defesa da vítima não considerou suficiente. Thaís afirma que este é o único valor que sobrou para a desempregada comprar a casa para o restante dos parentes.

Maikon Vilaça, advogado que assumiu o caso após contato da reportagem, disse que o dinheiro de Cristiane estava na conta da imobiliária Dinâmica e teria sido recolhido pelo banco para pagamento de dívidas da empresa que pertence a Trindade. Além disso, o empresário estaria enfrentando dificuldades financeiras. Vilaça destacou, ainda, que está em negociação com a defesa da vítima e que o corretor de imóveis pretende ressarcir o valor.

— Infelizmente veio os reflexos da pandemia e pegou ele [Trindade] também. Meu cliente procurou instituições financeiras para avaliar a possibilidade de empréstimos e, assim que tivermos este retorno, vamos apresentar as possíveis datas de pagamento.

Cristiane registrou um boletim de ocorrência sobre o caso e a Polícia Civil instaurou um inquérito para investigação. Segundo a corporação, o corretor citado deve ser convocado para prestar depoimento em breve. O delegado responsável também vai ouvir os donos dos apartamentos envolvidos nas negociações.

Veja mais:

Últimas