Minas Gerais CPI da covid convoca secretária da Prefeitura de BH para depor

CPI da covid convoca secretária da Prefeitura de BH para depor

Depoimento foi marcado para o próximo dia 26 de agosto, na Câmara Municipal, a pedido do vereador Juliano Lopes (PTC)

  • Minas Gerais | Lucas Pavanelli, do R7

CPI da Câmara de BH foi aberta no fim de maio para apurar ações da PBH na pandemia

CPI da Câmara de BH foi aberta no fim de maio para apurar ações da PBH na pandemia

Divulgação / Cláudio Rabelo / CMBH
   

A CPI da Covid-19, que apura as ações de enfrentamento à pandemia pela Prefeitura de Belo Horizonte, na Câmara Municipal, aprovou, nesta quinta-feira (12) a convocação da secretária de Assuntos Institucionais e Comunicação, Adriana Branco. 

O depoimento está marcado para 26 de agosto e foi sugerido pelo presidente da comissão Juliano Lopes (PTC).  Segundo ele, Adriana ocupava o cargo de chefia de gabinete do prefeito no momento em que a prefeitura decretou estado de calamidade pública, em março do ano passado. Para o vereador, isso justifica a convocação. 

Até o momento, outros secretários municipais prestaram esclarecimentos à CPI da Covid-19, entre eles o de saúde, Jackson Machado, e a de educação, Ângela Dalben

Depoimento

Nesta quinta-feira (12), os vereadores que integram a comissão ouviram o infectologista Carlos Starling, que faz parte do Comitê de Enfrentamento à Covid-19 da Prefeitura de Belo Horizonte. 

Ele foi questionado sobre as funções do comitê. Segundo ele, os médicos que fazem parte do colegiado foram convidados pela prefeitura, não são remunerados e tem como objetivo orientar o prefeito nas ações tomadas durante o combate à pandemia.

— Não é função do comitê fiscalizar. Nossa função é orientar, não é fiscalizar comércio e escola. Somos orientadores de princípios técnicos. Nossa recomendação é de redução de mobilidade social

Starling rebateu, ainda, as críticas sobre fechamento de escolas durante mais de um ano no município, disse que era preciso evitar que as crianças transmitissem o coronavírus a seus pais e defendeu que é preciso monitorar os casos de covid-19 em crianças. 

— A incidência em crianças vem aumentando no mundo inteiro. Já são 130,3 mil órfãos no Brasil. 

Últimas