tragédia brumadinho

Minas Gerais Deputado sugere comissão para acompanhar acordo entre Vale e MG

Deputado sugere comissão para acompanhar acordo entre Vale e MG

Rogêrio Correia (PT) propõe estratégia para "garantir transparência"; nova audiência sobre o assunto está marcada para o dia 9 de dezembro

  • Minas Gerais | Célio Ribeiro*, do R7

Tragédia de Brumadinho (MG) deixou 270 mortos

Tragédia de Brumadinho (MG) deixou 270 mortos

Ascom / AGU

O deputado federal Rogério Correia (PT) propôs à Presidência da Câmara dos Deputados a criação de uma comissão para acompanhar o acordo entre a mineradora Vale e o Governo de Minas.

O requerimento 2740/2020 foi registrado na terça-feira (17). No documento, o parlamentar alega que, mesmo com o aumento nos lucros da mineradora, a empresa insiste em oferecer uma indenização melhor do que a calculada pelo Ministério Público. Correia afirma que a comissão deve “fiscalizar as negociações a fim de garantir a transparência e participação dos atingidos e do Poder Legislativo”. 

Veja: Vítimas de barragem reclamam ausência em acordo entre MG e Vale

Por uma rede social, o deputado afirmou que o acordo entre as duas partes só não foi fechado por causa da mobilização dos atingidos pelo rompimento, que fizeram um protesto em frente ao Tribunal de Justiça de Minas Gerais. Na publicação, Correia alega que é preciso acompanhar as negociações de perto.

— Será preciso muita atenção a todo o momento, pois o governador Romeu Zema já mostrou em diversas ocasiões que tem um lado, que é o da Vale.

Outro lado

Em nota, o Governo de Minas informou que rejeitou a proposta da mineradora Vale por considerar que "as condições não condizem com a devida reparação, diante dos graves danos causados pelo rompimento da barragem". O governo ainda afirma que se mantém firme no propósito de cobrar o cumprimento das obrigações da Vale e que acolhe o interesse dos outros poderem de acompanhar o processo.

Já a mineradora Vale informou, em nota, que mantém um dialogo construtivo com o Governo de Minas e outras instituições visando o benefício de todo o Estado, "especialmente das populações de Brumadinho e municípios impactados da calha do rio Paraopeba". A Vale também informou que não irá comentar a proposta do deputado.

Audiência sem acordo

Horas antes da apresentação do requerimento, representantes do Governo de Minas e da Vale se reuniram para discutir, novamente, o valor da indenização referente aos danos causados pelo rompimento da barragem B1, em Brumadinho, em janeiro de 2019. Pela 2º vez, a audiência terminou sem acordo. Minas pede uma indenização de R$ 54 bilhões, enquanto a Vale apresenta uma proposta de cerca de R$ 20 bilhões, que foi rejeitada.

Uma nova reunião está marcada para o dia 9 de dezembro. Até lá, a mineradora deve avaliar o novo valor pedido pelo Governo de Minas, que não foi revelado.

*Estagiário do R7 sob a supervisão de Lucas Pavanelli.

Últimas