Queda de barragem em minas

Minas Gerais "Dificilmente vão ser encontrados ainda com vida", diz governador de MG sobre operários desaparecidos

"Dificilmente vão ser encontrados ainda com vida", diz governador de MG sobre operários desaparecidos

Fernando Pimentel deu entrevista coletiva no início da tarde deste domingo em Mariana

  • Minas Gerais | Do R7, em Belo Horizonte

Pimentel visitou Mariana na última sexta-feira (7) e neste domingo (8)

Pimentel visitou Mariana na última sexta-feira (7) e neste domingo (8)

Veronica Manevy/Imprensa MG

Em entrevista na tarde deste domingo (8), o governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, informou que há poucas chances de que os operários desaparecidos na tragédia em Mariana, na região central do Estado, sejam encontrados com vida. Ao todo, 28 pessoas estão sumidas - 13 trabalhadores da mineradora Samarco e 15 moradores da região - desde a última quinta-feira (5) quando duas barragens se romperam.  

— Os treze desaparecidos, que estavam em cima da barragem no momento da ruptura, dificilmente vão ser encontrados ainda com vida. Lamentavelmente, nós temos que reconhecer isso. Dos outros 15, nós não sabemos. São desaparecidos. A gente pode, quem sabe, localizar alguém que fugiu ou ficou perdido por alguma localidade que não foi encontrado. Então, não quero tirar a esperança de ninguém.  

Leia mais notícias de Minas Gerais no Portal R7

Experimente grátis: todos os programas da Record na íntegra no R7 Play

Ainda conforme o governador, a força-tarefa que atua em Mariana tem como prioridade a busca pelos corpos das vítimas. Ao todo, 58 militares do Corpo de Bombeiros trabalham no distrito de Bento Rodrigues, o mais atingido pela lama que vazou das represas de Fundão e Santarém.  

— Neste momento, o trabalho que está sendo feito é justamente de buscas. Os bombeiros estão com seis equipes em Bento Rodrigues na tentativa de localizar os corpos.   

O governador informou também que sobrevoou a região na manhã deste domingo e que, ao longo da calha do rio Gualaxo, o primeiro a ser atingido pela carga de vazamento das represas, estão sendo feitos esforços para recuperar os acessos aos distritos que ficaram isolados pela lama e também atender à população afetada.   

— Todas as pessoas que estão nesses distritos já foram atendidas, tanto com atendimento médico quanto com suprimento de água, alimentos e daquilo que foi necessário. 

Em relação às 588 pessoas desabrigadas em decorrência da tragédia, Pimentel informou que todas passaram por atendimento médico e estão tendo acompanhamento psicológico. Além disso, ele informou que a população está hospedada em hotéis de Mariana e está recebendo apoio da mineradora Samarco.  

Tragédia poderia ser maior

Ainda durante a coletiva de imprensa, Fernando Pimentel destacou que a tragédia poderia ter sido muito maior se ocorresse, por exemplo, durante a noite.

— O número de vítimas é alto, mas poderia ser maior, se não fosse o horário. Eu tenho a impressão de que se isso tivesse acontecido à noite poderia ter sido muito pior. Uma vida humana que fosse já seria irreparável, imagina 28! O acidente com as barragens de rejeitos de mineração da Samarco aconteceu por volta de 16h de quinta-feira (5).

Inicialmente, aconteceu o rompimento da barragem de Fundão, seguida pela queda da represa de Santarém. Não houve sinal de alerta sonoro e a mineradora informou que alguns moradores foram avisados do acidente por telefone.  

Últimas