tragédia brumadinho
Minas Gerais “É uma tragédia da Vale, não de Brumadinho”, rebate prefeito

“É uma tragédia da Vale, não de Brumadinho”, rebate prefeito

Chefe do Executivo retirou do município qualquer responsabilidade sobre o rompimento da barragem da mina Córrego do Feijão

Prefeito diz que irá cobrar conta da Vale

Prefeito diz que irá cobrar conta da Vale

Gabriel Rodrigues / RecordTV Minas - 07.02.2019

Avimar Barcelos (PV), prefeito de Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, retirou do município qualquer responsabilidade pelo rompimento da barragem da mina Córrego do Feijão. “É uma tragédia da Vale. Brumadinho não tem nada a ver com isso”, declarou o chefe do Executivo durante entrevista nesta quinta-feira (7).

Durante a tarde, Barcelos recebeu a ministra Damares Alves, do MMFDH (Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos), para discutir sobre ações emergenciais na região. Entre os assuntos abordados, está o cuidado com as famílias, funcionários da mineradora e comunidades indígenas e quilombolas atingidas pela lama de rejeitos.

PF admite chance de delação premiada sobre tragédia da Vale

A situação econômica da cidade foi outra questão que entrou na pauta. O prefeito teme o reflexo do colapso no bolso dos moradores e comerciantes da região. Segundo ele, os Governos Federal e Estadual já foram procurados, mas ainda não anunciaram liberação de verbas.

Barcelos contou que se reuniu com membros de um fundo de investimento internacional que tem intenção de injetar dinheiro em Brumadinho, contudo, segundo o chefe do Executivo, a condição para que isso ocorra é ter um apoio financeiro da Vale. O prefeito afirma que cobrará da mineradora o que foi gasto com as operações.

— Nós vamos apresentar à Vale a conta destes custos todos que o município está tendo.

Delegado fala com exclusividade sobre investigação em Brumadinho:

    Access log